Sobral – 300×100
Seet

Na calada da noite, deputados retiram R$ 45 milhões de Araguaína para pagar emendas

Redação AF - |
Foto: Claiton Cristus
Em reunião, parlamentar disse não se importar com a opinião popular

Enquanto o povo tocantinense dormia, por volta das 2 horas da madrugada desta quinta-feira (31), muitos deputados estaduais do Tocantins agiam para abocanhar uma parcela razoável do empréstimo de R$ 453 milhões que o Governo espera fazer junto à Caixa Econômica.

Com a manobra às escuras, os deputados conseguiram assegurar uma média de R$ 3 milhões, por cabeça, para pagar as emendas parlamentares que serão destinadas às suas bases eleitorais. Mas dois abriram mão desse dinheiro por não concordarem: Elenil da Penha (PMDB) e Paulo Mourão (PT).

No entanto, a manobra espúria que mais causou perplexidade foi uma emenda coletiva que retira a singela quantia de R$ 45 milhões dos R$ 86,5 milhões previstos para duplicação da rodovia TO-222 no trecho entre Araguaína e o Distrito de Novo Horizonte. Com isso, Araguaína ficará apenas com R$ 41 milhões – verba insuficiente para executar a obra como planejado.

Um documento que circulou durante a votação consta o nome de 18 deputados, que teriam assinado a emenda: Olyntho Neto, Luana Ribeiro, Eduardo Siqueira Campos, Amália Santana, Clayton Cardoso, Eduardo do Dertins, Eli Borges, Ricardo Ayres, Rocha Miranda, Toinho Andrade, José Augusto, Júnior Evangelista, Mauro Carlesse, Osires Damaso, Vilmar de Oliveira, Wanderlei Barbosa e Zé Roberto. “Solicitando a redistribuição dos recursos deste item para diversos municípios”, diz o documento.

OLYNTHO NETO

Porém, o deputado Olyntho Neto, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), disse que o documento divulgado com o nome dos parlamentares é “falso”, pois não há assinaturas e paginação. Ele acrescentou que, na condição de presidente, só votaria em caso de empate, o que não ocorreu.

O pior de tudo é que se dependesse apenas de Olyntho, Araguaína ficaria somente com R$ 15 milhões para fazer a duplicação da rodovia, que ele acredita ser ‘suficiente’.

JORGE FREDERICO

Já o deputado Jorge Frederico confirmou ao AF que o documento circulou na comissão durante a votação e ficou revoltado ao ver seu nome. “Solicitei imediatamente questão de ordem ao presidente da CCJ e pedi para excluir meu nome, pois eu não concordo em retirar recursos de Araguaína. Coisa imoral”, disse Jorge.

ELENIL DA PENHA

“Briguei, briguei e muito para que os R$ 86 milhões ficassem em Araguaína”, disse Elenil. O deputado ainda confirmou que Jorge Frederico teve o nome incluído indevidamente. “Colocaram o nome do Jorge equivocado. O Jorge não assinou para tirar o dinheiro de Araguaína. Foi uma lista falsa que surgiu. O Jorge jogou ela em cima da mesa e quase deu porrada”, relatou.

LUANA RIBEIRO

Jorge Frederico acrescentou que a deputada Luana Ribeiro, embora conste seu nome na lista, sequer estava na sessão. “Para ser justo também, é preciso reconhecer que a deputada Luana não assinou esse documento e nem estava na sessão”.

O deputado Rocha Miranda (PMDB) também não estava presente. Ele está licenciado do cargo.

RECURSO AO PLENÁRIO

Os deputados Elenil, Jorge e Valderez já ingressaram com recurso ordinário para que Araguaína continue com os R$ 86 milhões. A decisão final caberá ao plenário.

VEREADOR FICA REVOLTADO

Quem também ficou muito revoltado foi o vereador José Ferreira Barros Filho, o Ferreirinha. “É um absurdo o que fizeram com Araguaína. Estou indignado. Nos apunhalaram pelas costas enquanto o povo descansava durante a madrugada”, desabafou.

Outra ‘novidade’ é que o empréstimo inicial de R$ 453 milhões se transformou em R$ 583 milhões – R$ 130 milhões a mais para construção da ponte em Porto Nacional. Do valor inicial, os deputados já colocaram as mãos sobre R$ 229 milhões. O Governo ficará com R$ 224 milhões.

Matéria atualizada.

Comentários pelo Facebook: