Na fila do SUS desde 2012, lavradora já foi vítima de erro médico e luta por cirurgia

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Polônia Aparecida Dias Medeiros

Márcia Costa//AF Notícais 

A lavradora Polônia Aparecida Dias Medeiros, de 31 anos, descobriu ainda em 2012 que é portadora das doenças endometriose e adenomiose e aguarda até hoje por uma cirurgia que resolva o seu problema. Ela já buscou tratamento pelo SUS, mas agora pede ajudar para realizar o procedimento cirúrgico fora do Estado.

As doenças causam fortes dores, além de hemorragias, inchaços e o crescimento da barriga. Ela mora na zona rural de Nova Olinda.

Polônia Aparecida disse que está na fila de espera do SUS, porém o médico que faria a cirurgia cancelou a agenda e não há previsão para retornar. Cansada de esperar pelo procedimento para retirada o útero no Hospital Regional de Araguaína, a lavradora tenta arrecadar R$ 10 mil para fazer a cirurgia em um hospital particular em Goiânia (GO). Esse valor não inclui passagens, alimentação e outros gastos.

“São doenças que estão me matando aos poucos a cada dia. Preciso fazer uso de diversos remédios para amenizar as dores e me manter em pé. Não consigo suportar! Eu não tenho dinheiro para fazer a cirurgia, mas quero tentar arrecadar, pedir às pessoas que me ajudar. As dores são terríveis”, disse.

Polônia contou também que morava em Bandeirantes quando descobriu a doença através de uma ressonância. De lá, ela foi transferida para Guaraí para fazer a cirurgia. O procedimento foi marcado em agosto de 2016, mas só foi realizado em janeiro de 2017. O médico deveria ter retido o útero e os focos da endometriose.

Contudo, a lavradora diz ter sido vítima de um erro médico. “O médico fez o corte da cirurgia em mim, mas não retirou o útero e disse que o procedimento deveria ser feito por um especialista em endometriose e por isso me encaminhou para Araguaína. Como é que um um profissional da medicina abre uma pessoa sem ter o devido conhecimento da situação? Aqui estou, precisando fazer a cirurgia com urgência e numa fila que não anda”, desabafou a mulher.

Os interessados em ajudar a mulher a fazer a cirurgia em um hospital particular podem depositar qualquer quantia na seguinte conta: Banco – Caixa Econômica Federal / Conta – 013.00019350-8 corrente / Agência – 0610 Araguaína TO / Titular – Polônia Aparecida Dias Medeiros.

Comentários pelo Facebook: