Seet
Sobral – 300×100

‘Não quero disputar com pessoas, mas com projetos’, afirma senadora Kátia Abreu

Agnaldo Araujo - | - 585 views
Foto: Nielcem Fernandes//AF Notícias
Kátia Abreu é a mais nova Democrata Trabalhista do Tocantins

Nielcem Fernandes//AF Notícias

A senadora Katia Abreu concedeu entrevista coletiva à imprensa na manhã desta segunda-feira (2), em Palmas, para falar sobre as eleições suplementares, pré-candidatura ao Governo e sua filiação ao PDT.

Kátia Abreu esteve no evento ao lado do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi; do senador do Paraná, Roberto Requião MDB); do ex-governador do Ceará, Sid Gomes (PDT), e do ex-ministro e atual pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT).

Inicialmente, Kátia Abreu declarou apoio à candidatura de Ciro Gomes. “Eu acredito muito na eleição do Ciro Gomes. Entendo que ele está preparado para executar um grande projeto para o Brasil”, disse a senadora.

A parlamentar também pregou responsabilidade e equilíbrio durante esse momento de transição. “Peço a Deus e ao governo interino que olhe pelos interesses do povo tocantinense e não pelos seus próprios”, afirmou.

O presidente do partido, Carlos Lupi ressaltou que a filiação da senadora é de extrema importância para a sigla. “Considero a senadora como uma mulher de fibra e que não se curva. A senhora apresenta a aliança da vitória para nós. Estamos aqui com muita alegria, felicidade e esperança”, declarou.

Requião, que é ex-colega de partido de Kátia, enalteceu o trabalho da senadora. “Kátia não é do meu partido, mas, de acordo com meu entendimento, é nossa irmã”, ponderou.

Ciro Gomes também elogiou a caminhada de Kátia Abreu. “Estou aqui com imensa alegria e sentimento de esperança. Quem conhece a história da Kátia Abreu sabe que desde cedo ela teve que enfrentar a vida dura e se agigantou. Virou talvez a mais exuberante líder do trabalho da produção rural do Brasil”, afirmou.

Foto: AF Notícias
Ciro Gomes

Eleição suplementar

Sobre a eleição suplementar, a pré-candidata ao Governo disse que aguarda paciente a manifestação do Tribunal Regional Eleitoral sobre as regras da disputa para tomar a decisão mais adequada e melhor para o Tocantins.

“Eu não acredito em eleição fácil ou difícil. Acredito que todas as eleições são processos delicados. Não quero disputar com pessoas, quero disputar com projetos. Por isso, estou caprichando no meu, lutando e trabalhando para que ele chegue próximo ao contentamento geral. Quero que o meu projeto saia do povo. Não é uma frase oportunista ou demagógica. É mais fácil ser amada, querida e aplaudida como governadora se a população estiver satisfeita”, disse.

Questionada sobre a possibilidade de não disputar as eleições suplementares e apoiar outro nome na disputa, Kátia Abreu ponderou que isso pode acontecer dependendo das conjunturas políticas. “Se eu, de fato, encontrar outro projeto que fale mais alto e que satisfaça as pessoas, vou aplaudir e posso até apoiar. Agora, como política, ficando fora da suplementar, não tenho a obrigação de aprovar qualquer pessoa”, confirmou.

A senadora ainda se disse pré-candidata ao governo antes mesmo da cassação do mandato do ex-colega de partido, Marcelo Miranda (MDB). “Sou pré-candidata desde março do ano passado, construindo um projeto para o Tocantins que possa de fato encantar verdadeiramente as pessoas para que elas voltem a acreditar no Tocantins. Estou me sentindo muito bem dentro do PDT e isso me encanta muito”, disse.

Sobre uma possível aliança com o Partido dos Trabalhadores (PT) para disputar o Palácio Araguaia, Kátia Abreu cogitou a possibilidade e não vê dificuldade. “Com certeza, o PDT já apoiou o PT em vários Estados do Brasil. Eu não descarto essa possibilidade do PT se unir ao PDT”, concluiu.

Comentários pelo Facebook: