Sobral – 300×100
Seet

Natural de Araguaína, ministro Dyogo Oliveira assumirá presidência do BNDES

Agnaldo Araujo - |
Foto: Givaldo Barbosa
Ex-ministro Dyogo Oliveira

O presidente Michel Temer confirmou nesse domingo (1º) que o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, assumirá a presidência do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento). O atual secretário-executivo da Pasta, Esteves Colnago, será promovido ao posto de ministro do Planejamento.

No comando do BNDES, Dyogo deve priorizar investimentos em infraestrutura e para pequenas e médias empresas, além de atuar em projetos de securitização de dívidas.

Natural de Araguaína, norte do Tocantins, Dyogo terá como um dos objetivos pacificar a relação do banco com as instâncias de controle, como o TCU (Tribunal de Contas da União). Além disso, deverá ampliar a interlocução com o setor privado, fundamental para fazer deslanchar as concessões de infraestrutura hoje emperradas.

O comando do BNDES foi deixado por Paulo Rabello de Castro, que será candidato à Presidência da República nas eleições deste ano.

Na tarde desse domingo, Temer recebeu autoridades no Palácio do Jaburu, sua residência oficial, para discutir a nova formação da esplanada dos ministérios.

Participaram do encontro os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral), Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Gustavo Rocha (Direitos Humanos) e Dyogo Oliveira, além do líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), e do deputado Darcísio Perondi (MDB-RS).

A confirmação foi feita por meio de nota. Outro nome já decidido pelo governo, mas ainda não formalizado é o do secretário executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, que vai substituir Henrique Meirelles no posto de ministro.

Mais substituições devem ser feitas ao longo da semana. Dia 7 de abril é o prazo final para que ministros que vão se candidatar nas próximas eleições deixem o cargo.

Veja também

Um araguainense de família humilde que se tornou Ministro do Planejamento

Comentários pelo Facebook: