Seet
Sobral – 300×100

Atacante Neymar abriu três empresas de fachada para driblar Receita, diz MPF

Redação AF - |
Foto: Divulgação
MPF denuncia pai e filho, Neymar.

O Ministério Público Federal acusa o atacante Neymar e seu pai, o empresário Neymar Santos, de tentarem driblar o Fisco brasileiro com a criação de empresas de fachada e a adulteração de documentos para pagar menos impostos. De acordo com denúncia encaminhada esta semana à Justiça, à qual a revista Veja teve acesso, para escaparem dos 27,5% da mordida do Leão sobre pessoas físicas, pai e filho criaram empresas para receber a maior parte de seu salário no Santos e dos contratos de publicidade. Com isso, pagavam alíquota menor, com abatimento de mais de 50% no imposto a pagar.

Os dois foram denunciados esta semana por falsidade ideológica e sonegação fiscal, assim como o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell e o atual, Josep Maria Bartolomeu. A pena para esses crimes chega a cinco anos de prisão.

De acordo com a reportagem de Wálter Nunes, Neymar e o seu pai abriram três empresas em seis anos: a Neymar Sport e Marketing, a N&N Consultoria Esportiva e a N&N Administração de Bens. Segundo o Ministério Público, nenhuma delas tinha “capacidade econômico-financeira, gerencial ou operacional” para administrar a carreira do atleta. Registradas em nome do pai e da mãe do jogador, as firmas tinham apenas dois seguranças.

Conforme as investigações, entre 2010 e 2013, Neymar recebeu R$ 43,78 milhões do Santos, mas só R$ 8,1 milhões em forma de salário, como pessoa física.

“O restante foi por meio dos ‘contratos de imagem’ firmados com suas empresas. Apenas em 2011, as companhias dos Neymar também selaram ao menos onze contratos com patrocinadores, que somaram quase 75 milhões de reais. Afirma o procurador, que trabalhou em conjunto com a Receita Federal: ‘Fica muito claro que Neymar e seu pai constituíram as empresas com o único objetivo de receber por elas os valores dos contratos e assim pagar menos impostos’”, diz trecho da reportagem da Veja. Procurada, a assessoria do atleta afirmou que ele não vai se manifestar porque não foi notificado ainda da denúncia feita pelo procurador Thiago Lacerda Nobre.

Em ótima fase dentro de campo, Neymar também enfrenta o Fisco espanhol. Ele e o pai são alvos de dois processos, um cível e o outro criminal, acusados de corrupção e estelionato em uma investigação que apura se eles forjaram contratos para esconder parte do dinheiro que o atacante recebeu ao trocar o Santos pelo Barcelona. As autoridades espanholas estimam que ele deixou de pagar 9 milhões de euros (cerca de R$ 39,4 milhões). Em setembro, a Justiça brasileira bloqueou R$ 188 milhões do jogador, relativos a uma multa por sonegação de impostos entre 2011 e 2013 em contratos com o Santos, com empresas para fazer publicidade e na transação que o levou para a Espanha.

Leia a íntegra da reportagem da Veja

Comentários pelo Facebook: