No sul do Tocantins, prefeito de Talismã decreta situação de calamidade pública

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O prefeito decretou situação de calamidade pública

O prefeito de Talismã, Diogo Borges de Araújo Costa, decretou estado de calamidade pública no município em decorrência da falta de combustíveis na cidade devido a greve dos caminhoneiros, que já dura oito dias.

O Decreto entrou em vigor nesta segunda-feira (28) e tem o objetivo de economizar recursos para áreas essenciais, como a saúde, educação e saneamento.

O prefeito argumentou no Decreto que a greve nacional dos caminhoneiros é um movimento legítimo e democrático, pontuou que a prefeitura está sem combustíveis para o transporte escolar e também falta merenda nas escolas.

Em decorrência, as aulas e o transporte escolar serão suspensos a partir desta terça-feira (29). Também serão suspensas as obras que necessitam de utilização das máquinas do erário municipal, exceto as de caráter emergencial.

Já os serviços da Secretaria de Saúde não serão paralisados, especialmente os de urgência e emergência. Também não haverá alteração no recolhimento de lixo, segundo a prefeitura.

Araguaína

Em Araguaína, segunda maior cidade do Tocantins, a prefeitura já começou a implementar uma série de medidas para lidar com a falta de combustíveis.

A coleta de lixo foi reduzida, as aulas serão suspendas a partir desta terça-feira (29) e o atendimento da saúde também foi alterado, assim como o da sede da prefeitura.

Veja mais…

Prefeitura de Araguaína suspende aulas nas escolas e reduz expediente para 5h

Comentários pelo Facebook: