Nomeação da ‘nova’ diretoria do IMPAR apimenta debates na Câmara de Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: AF Notícias
O vereador Carlos Silva é contra a nomeação da nova diretoria

Márcia Costa//AF Notícias 

Os vereadores de Araguaína travaram debates acalorados durante as sessões de segunda e terça-feira (12 e 13) para discutir e referendar a nomeação da nova diretoria do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Araguaína (Impar) – órgão responsável pela aposentadoria e benefícios previdenciários dos servidores públicos efetivos do município.

A nova diretoria é composta por Carlos Murad – presidente; João Pedro Miranda dos Reis – diretor financeiro; e Osanan Moura dos Santos – diretor administrativo. Todos são indicados pelo prefeito Ronaldo Dimas (PR).

Carlos Murad já foi presidente do Impar de 2013 a 2016 e saiu em fevereiro de 2017 para assumir o cargo de chefe de gabinete do prefeito. João Pedro já ocupa o cargo atualmente.

Foto: AF Notícias
Integrantes da nova diretoria

Com exceção dos vereadores Carlos Silva e Silvano do Picolé, todos os outros parlamentares votaram favoráveis à nomeação da nova diretoria.

Silva justificou o voto contrário alegando a existência de uma dívida superior a R$ 100 milhões da Prefeitura junto ao Impar. Ele também criticou os membros em relação à falta de representatividade em defesa dos servidores.

“Toda vez que essas pessoas estiveram aqui, tentaram nos convencer de que os parcelamentos eram bons para o município. Em nenhum momento sequer foi demonstrada preocupação a longo e médio prazo, ou as consequências orçamentárias para os servidores. Também não houve defesa dos servidores, e sim do Executivo”, criticou Carlos Silva.

O parlamentar também criticou os gastos com aluguel do prédio onde funciona o instituto. Segundo ele, nenhum representante se interessou até agora em construir a sede própria do Impar.

“Com tantas áreas públicas e não há até agora nenhuma área para o Impar. Foi publicado no Diário Oficial do Município o contrato de aluguel de R$ 402 mil até o ano de 2023. A economia está em crise, mas não é isso que tenho observado”, argumentou.

Já o vereador Terciliano Gomes defendeu os novos integrantes da diretoria do órgão. “Eu vejo que Carlos Murad agiu com responsabilidade enquanto esteve no Impar”, disse.

Comentários pelo Facebook: