Sobral – 300×100
Seet

Obrigatoriedade do exame toxicológico está em vigor para categorias C, D e E

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Exame toxicológico agora é obrigatório para categorias C, D e E

A obrigatoriedade do exame toxicológico para as categorias C, D e E está em vigor desde o dia 2 de março de 2016. De acordo com a Resolução 517/15 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), será exigido que motoristas de caminhões, vans e ônibus apresentem exames toxicológicos de larga janela de detecção para obter ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

No Brasil, seis laboratórios estão credenciados junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para realizarem os exames; cinco em São Paulo e um no Rio de Janeiro. No Tocantins, bem como nos demais Estados, foram instaladas redes coletoras, que são responsáveis por recolherem as amostras e enviarem para os laboratórios credenciados.

O objetivo do exame é verificar se o motorista fez uso de drogas ou substâncias proibidas nos últimos 90 dias antes do teste. É feito através de pelos, cabelos ou unhas.

Pelo exame são identificadas a presença ou ausência de maconha e derivados, cocaína e derivados (incluindo crack e merla), opiáceos (incluindo codeína, morfina e heroína), “ecstasy” (MDMA e MDA), anfetamina e metanfetamina, conhecida popularmente como “rebite”.

Através do laudo, a instituição médica credenciada vai atestar a aptidão do condutor. Aqueles que não se submeterem aos exames toxicológicos serão considerados inaptos temporários ou inabilitados até que apresentem o laudo negativo do exame. O laudo tem validade de 30 dias a contar da data que foi expedido.

De acordo com a gerente de Sistemas e Registros Nacionais do Detran-TO, Claudineide Martins, o exame toxicológico poderá evitar um grande número de acidentes nas vias urbanas e estradas. “Sabemos que alguns caminhoneiros, por exemplo, fazem uso de substâncias prejudiciais, como o rebite. O consumo desta substância só aumenta o risco de um grave acidente, uma vez que altera o poder de reação diante do perigo”, afirmou.

Ainda de acordo com a gerente, o álcool é uma das substâncias que mais causam acidentes no trânsito. “Recebemos muitos casos de acidentes por embriaguez. Um motorista de ônibus ou van que consumiu bebida alcoólica coloca em risco a vida de todos. Vejo o exame toxicológico como uma medida necessária para a paz e segurança no trânsito”, ressaltou a gerente.

Laboratórios credenciados no Brasil e redes coletoras no Tocantins:

Laboratório Chromatox LTD

Maxilabor Diagnósticos LTDA

Laboratório Morales – Sodré

 

Redes coletoras:

Dianópolis – Laboratório Síntese

Gurupi – Biotipo Laboratório Clínico

Palmas – Lab Center e Laboratório Acesso Saúde

Porto Nacional – Labclin Laboratório Clínico

Tocantinópolis – Exame Laboratório Biomédico

Citilab Diagnóstico – LABET

Rede coletora:

Gurupi – Joacil Alves Japiassu

 

Contraprova Análise, Ensino e Pesquisas LTDA

Redes coletoras:

Araguaína – Laboratório Núcleo

Dueré – Laboratório Hemolab

Gurupi – Laboratório Hemolab

Palmas – Labexato

Peixe – Laboratório Hemolab

 

Psichemediscs Brasil Exames Toxicológicos

Redes coletoras:

Araguaína – Prisma Diagnósticos LTDA

Araguatins – Lopes e Mota Ltda Me

Cristalândia – Carla Maria de Alcantara ME

Gurupi – Laboratório Bioclin Ltda  e Laboratório Labnort Ltda

Palmas – Ética Laboratório Eirelli Epp; Labexato Laboratório de Análises Clínicas LTDA; Labvida Laboratório e Quality Laboratório

Porto Nacional – Clínica Médica Laboratório Valentes LTDA EPP

Comentários pelo Facebook: