Sobral – 300×100
Seet

Observatório Social é apresentado oficialmente à população de Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: João Neto
Observatório Social é oficialmente apresentado em Araguaína

Araguaína foi oficialmente apresentada ao novo instrumento de controle social sobre as atividades dos poderes públicos municipais: o Observatório Social. A implantação da unidade local já conta com a adesão de empresários, profissionais liberais, representantes de entidades classistas e da sociedade civil organizada, que participaram da primeira reunião de sensibilização e mobilização de parceiros. O encontro ocorreu no dia 10 de junho, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto).

Palestra

A representante do Observatório Social do Brasil e conselheira federal de Contabilidade, Vânia Labres, foi a responsável por compartilhar as informações sobre as metodologias de atuação da entidade com os presentes. Por meio de vídeos institucionais e exemplos reais, Vânia frisou que o verdadeiro propósito do Observatório é criar a cultura do trabalho preventivo para ajudar as gestões municipais – Prefeitura e Câmara de Vereadores. “É muito bom perceber que estamos contribuindo com nossa cidade. Somos acionistas desta empresa que é o município, é nosso dinheiro que está lá, por isso precisamos zelar pela correta aplicação dele”, enfatizou a palestrante.

Processo social

A implantação de um Observatório Social é um processo de baixo para cima, que parte dos próprios cidadãos. E os resultados são visíveis. “No caso das licitações, nas cidades que não possuem um OS, a média de empresas concorrentes é de três. Já onde há um Observatório, essa média sobe para nove”, contou Vânia.

E é justamente nos processos licitatórios que o OS concentra as atividades. Por meio do Sistema Integrado de Monitoramento de Licitações, os técnicos do Observatório acompanham a legalidade e transparência de cada etapa do processo e dão visibilidade para a participação de empresas menores.

Presente em 105 cidades de 19 Estados, o OSB conta com o trabalho voluntário de aproximadamente três mil pessoas. A estimativa é que, nos últimos três anos, o Observatório tenha contribuído com a economia de cerca de R$ 1 bilhão para os cofres públicos municipais.

Participação

Estiveram presentes no evento representantes do ITPAC (Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos), SEBRAE, SENAI, Rotary Club de Araguaína, Rotary Club Lago Azul de Araguaína, SINTET (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins), ACIARA (Associação Comercial e Industrial de Araguaína), SESCAP (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento e Auditoria do Estado do Tocantins), ASCA (Associação dos Contadores de Araguaína), MNLM (Movimento Nacional de Luta pela Moradia), CRC-TO (Conselho Regional de Contabilidade) e Sindicato Rural. (Ascom).

Comentários pelo Facebook: