Sobral – 300×100
Seet

Olyntho diz ter sido ameaçado por convidar população para manifestação pró-impeachment

Agnaldo Araujo - |
Foto: Ascom
Deputado com o pixuleco do ex-presidente Lula

O deputado Olyntho Neto discursou no plenário da Assembléia Legislativa para falar da sua indignação com as ameaças que vem recebendo por reforçar o convite aos demais parlamentares e à população para a manifestação pró-impeachment que acontecerá no próximo domingo (13/03), nas principais cidades do país.

“Eu não tenho medo de ameaça e não vou ser intimidado por qualquer pessoa que seja, por qualquer grupo que seja. Eu sou político com muito orgulho, com as mãos limpas, de peito aberto  e como todos os brasileiros eu vou às ruas lutar contra os que estão roubando o nosso país”, disse o deputado.

Olyntho lembrou as prisões feitas pela Polícia Federal, de membros do PT (Partido dos Trabalhadores) investigados por crimes de corrupção. “Têm prisões de cabo a rabo. De tesoureiro a ex-presidente do Brasil. E não é só um tesoureiro, são dois. Tivemos, inclusive, a prisão de um Senador da República, caso inédito no nosso país”, disse.

No discurso, Olyntho repudiou os fatos recentes protagonizados por militantes do MST (Movimento dos Sem Terra), de invasão à sedes de veículos de imprensa e a prédios públicos, como o ocorrido em Palmas, na última terça-feira (08/03) onde a sede do Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento em Palmas, foi invadida e a porta do prédio quebrada com machado usado pelos manifestantes que ameaçaram servidores do órgão.

O Deputado concluiu dizendo que não será intimidado por bandidos e defendeu que a saída para a presidente Dilma é a renúncia, considerando os casos de corrupção no Governo Federal investigados pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. “Eu vou, no dia 13, manifestar e mostrar a minha indignação para que isso acabe. Esse grupo está acabando com o nosso país, mas tenho certeza que não mais por muito tempo porque a verdade sempre prevalece. O bem sempre vence o mal”, finalizou.

Comentários pelo Facebook: