Opinião – Entre blefes, encenações, idas e voltas… Por que não te calas, Amastha?

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Carlos Amastha

Alberto Rocha //Opinião

É lamentável o que Carlos Amastha, ex-prefeito de Palmas e, agora, candidato de novo ao Governo do Tocantins, fez com seus companheiros políticos e com a própria população tocantinense.

Entre bravatas, blefes e encenações, anuncia de forma midiática, uma suposta renúncia à candidatura, um dia depois de ser escolhido em convenção como candidato ao Governo do Estado. Em menos de 24 horas depois, volta a dizer que segue na campanha como candidato. Mais uma vez fica claro que é difícil acreditar nesse senhor.

O midiático anúncio da desistência prejudicou não só o Amastha como também seus companheiros, que ainda insistem em acreditar nele. Qualquer que seja o resultado daqui para frente, ele já caiu no descrédito. Na pior das hipóteses, seria melhor que ficasse calado até o final da campanha.

As constantes presepadas de Amastha, que sempre causam mal-estar político, demonstram que ele está confundindo o Tocantins com um circo mambembe, com todo respeito aos palhaços. Ao tentar fazer de um blefe uma verdade, Amastha construiu próprio caminho para o desastre.

Amastha precisa pensar antes de falar. Fica evidente que, quanto mais ele fala, mais revela uma personalidade política falastrona, desmedida e sem controle. Esse senhor precisa recobrar o juízo, retornar à razão, deixar de brincar com o povo do Tocantins, pois aqui nem em outro lugar sério se constrói estabilidade, segurança, credibilidade com falsos alardes. E mais: Amastha tem de entender que o Tocantins não é e jamais será um tablado para blefes ou para pretensões loucas de quem quer que seja.

Entre blefes, encenação, idas e voltas, Amastha arruína ainda mais a sua já duvidosa carreira política. Por que não te calas, Amastha?

Comentários pelo Facebook: