Seet
Sobral – 300×100

Pesquisadores registram 235 espécies de aves no campus da UFT de Araguaína em três anos de pesquisa

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Azulona flagrada por câmera trap

Em um trabalho de pesquisa recém publicado e que durou quase três anos de estudos, pesquisadores registraram 235 espécies de aves no Campus da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal do Tocantins EMVZ em Araguaína, norte do Tocantins. O estudo foi conduzido por Wanieulli Pascoal, Silionamã Dantas e Ludmilla Weber, Caroline Duks e está publicado na revista científica Atualidades Ornitológicas, edição 189, periódico especializado neste tipo de publicação.

A área de estudo tem aproximadamente 1110 hectares e está dividida entre áreas com pastagens, áreas alagadas, campo sujo e fitofisionomias florestais (floresta ombrófila e mata ripária). Segundo os autores, esta diversidade de ambientes possibilita a ocorrência de uma grande variedade de espécies de aves, conforme foi evidenciado no artigo e que no presente estudo representa mais de 37% das aves já conhecidas para o Estado Tocantins.

“A área da EMVZ da Universidade Federal do Tocantins tem grande importância para a conservação das aves tocantinenses, visto que a localidade faz parte de um grande bloco de vegetação nativa ainda em bom estado de conservação, tendo grande potencial para nos revelar algumas surpresas ornitológicas”, explica o biólogo Wanieulli Pascoal, membro da equipe de pesquisadores.

Informações complementares

Os pesquisadores ainda apresentaram na publicação informações referentes à nidificação de algumas espécies, muitas delas pouco conhecidas pela ciência. Além disso, destacaram as principais espécies de aves com registros relevantes para o Estado do Tocantins.

No total, os autores registraram a nidificação esporádica de 13 espécies de aves, destacando informações sobre o ninho do Rendadinho-do-xingu (Willisornis vidua), visto que há uma carência de informações sobre o ninho desta espécie quanto a suas dimensões, materiais empregados na construção, tamanho e coloração dos ovos.

“A Observação do ninho encontrado do Rendadinho-do-xingu nos permitiu identificar que essa espécie utiliza gravetos, raízes e pequenas folhas para confecção do seu ninho. Seus ovos têm aproximadamente 1,8 centímetros e apresentam coloração marrom com manchas rosadas”, explica Pascoal.

Dentre os registros importantes para o Estado do Tocantins estão espécies de aves com registros pontuais para o Estado ou ameaçadas de extinção, como a Azulona (Tinamos tao), o Jacu-de-barriga-castanha (Penelope ochrogaster) e o Chororó-de-goiás (Cercomacra ferdinandi). Segundo os autores, o estudo permitiu conhecer um pouco mais sobre a biodiversidade da avifauna do Tocantins, principalmente para esta região em específico, onde há uma escassez de informações. (Fonte: Blog Natureza e Conservação)

 

Comentários pelo Facebook: