Sobral – 300×100
Seet

Polícia Civil prende suposto mandante da morte do advogado Danillo Sandes e desvenda crime

Redação AF -
Foto: Divulgação
O advogado Danilo Sandes foi morto em Araguaína

Após uma intensa investigação, os delegados José Rerisson Macedo e Guilherme Torres, titulares da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), conseguiram prender o suposto mandante da morte do advogado Danillo Sandes Pereira, de 30 anos, com dois tiros na nuca, no dia 25 de julho desse ano.

A apresentação do acusado acontecerá às 9 horas da manhã desta terça-feira (29) no Complexo de Delegacias de Polícia Civil, momento em que serão revelados detalhes do caso.

O delegado regional Bruno Boaventura afirmou que a polícia já tem elementos suficientes para indiciar o suspeito como mandante do crime. Com o acusado, a polícia apreendeu vasto material, inclusive armamento pesado.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil Subseção de Araguaína-TO convocou todos os profissionais para se postarem trajados de terno e gravata preta, de forma respeitosa e silenciosa.

A OAB também agradeceu a toda Policia Civil nas pessoas dos delegados e equipe pelo trabalho. “Tínhamos certeza que era só questão de tempo, tenho confiança que em breve prenderão o executor”, disse José Quezado, presidente da OAB Araguaina.

ENTENDA

Danilo saiu de casa na manhã do dia 25 de julho dizendo que iria para Filadélfia (TO) e marcou um encontro, por telefone, com supostos clientes em um supermercado, às margens da Avenida Filadélfia.

Em seguida ele teria se deslocado às proximidades do posto de saúde do Setor Jardim das Flores, onde deixou sua moto estacionada, entrou em um veículo e sentou no banco dianteiro do carona, segundo testemunhas.

O carro saiu em direção à rodovia TO-222 e não se teve mais notícias até o corpo ser encontrado cinco dias depois numa chácara a cerca de 18 km de Araguaína, já em estado avançado de decomposição.

Já a moto de Danilo foi encontrada no dia seguinte ao desaparecimento pela Polícia Militar, que foi acionada por servidores do posto de saúde.

Danilo foi executado friamente com dois tiros na nuca. Ele era solteiro, mas tinha um filho de 9 anos.

O advogado concluiu o curso de direito na Faculdade Católica Dom Orione, em 2014, quando também ingressou nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil. Ele era especialista em Direito Penal e Processo Penal e Direito do Trabalho. Atualmente, havia montado seu escritório e trabalhava para realizar o sonho da casa própria.

Comentários pelo Facebook: