Polícia Federal investiga corrupção e desvio de recursos da educação em prefeitura no norte do Estado

Agnaldo Araujo -
Foto: Norte do Tocantins
Sede da prefeitura de Goiatins

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (08) a operação Mínima Moralia, terceira fase da operação Bagration. A ação policial tem como objetivo apurar desvios de recursos públicos promovidos por ex-gestores da prefeitura municipal de Goiatins, norte do Tocantins.

Mais de 30 policiais federais cumprem oito mandados de busca e apreensão, emitidos pela 1ª Vara da Justiça Federal de Araguaína, nas cidades de Goiatins, Itacajá e Palmas.

A investigação teve início após a deflagração da operação Bagration em 27 de julho de 2016, quando o ex-prefeito Vinícius Donnover, sua esposa, uma vereadora e servidores públicos foram presos. Na época, a PF estimou desvios de R$ 10 milhões dos cofres públicos.

Após a análise de documentos e mídias apreendidos, foram constatadas diversas irregularidades relacionadas a licitações voltadas para a área da educação do município de Goiatins.

Dentre elas, foram constatadas a utilização de notas fiscais em duplicidade a fim de justificar pagamentos ilícitos, preços superfaturados e contratação de empresas de fachada.

Com o aprofundamento da investigação, a partir da análise das movimentações financeiras dos envolvidos, bem como, de relatórios de inteligência financeira emitidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), foram descobertas diversas transferências de valores das empresas e responsáveis contratados, para ex-gestores das Prefeitura de Goiatins, o que gera fortes indícios de desvio de recursos públicos e corrupção passiva.

O nome da operação significa Mínima Moral, qualidade da personalidade que deve pertencer ao domínio do espírito do gestor público no trato honesto e virtuoso da coisa pública.

Veja mais…

Polícia Federal prende 13 pessoas durante operação sobre fraudes na prefeitura de Goiatins; veja nomes

Comentários pelo Facebook: