Polícia investiga mistério sobre suposto bebê raptado na rodoviária de Guaraí; mulher inventou história

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Edileusa Nascimento

Márcia Costa//AF Notícias 

Um mistério envolve um suposto recém-nascido que teria sido raptado no Terminal Rodoviário de Guaraí (TO). A história vem tirando o sono de uma família que mora em Conceição do Araguaia (PA).

O possível sumiço do bebê também mobilizou as redes sociais e agora virou caso de polícia. Contudo, com o passar dos dias, a família passou a desconfiar da história e acredita que a ‘mãe’ inventou uma falsa gravidez.

O assunto ganhou repercussão nas redes sociais através de postagem feita por Michele Cabral.  Ela disse que fez a divulgação depois que a cunhada, Edileusa Nascimento de Jesus, de 41 anos, contou que estava com o bebê no colo na rodoviária de Guaraí, de onde retornaria para Conceição do Araguaia, e resolveu deixá-lo com uma mulher enquanto ia ao banheiro. Porém, ao voltar, a mulher havia desaparecido com a criança.

A HISTÓRIA DA GRAVIDEZ

“A Edileusa estava grávida e disse que ia para Araguaína ganhar o bebê, porém, nos ligou informando que a viagem era arriscada e que ganharia a criança em Guaraí. Neste período, ela enviou fotos do bebê e falava que estava bem. Ela ficou cerca de 20 dias na cidade porque disse que os pontos da cesariana estavam inflamados. Quando resolveu vir na última sexta-feira [19 de janeiro], contou que estava na rodoviária e o bebê tinha sido raptado”, explicou Michele.

Edileusa ainda contou à família que seu irmão registrou boletim de ocorrência em Guaraí, mas ela não quis enviar foto do documento. Segundo apurado, Edileusa contou várias versões da história e os familiares começaram a suspeitar que algo estava errado.

Desconfiados, um dos parentes procurou a Delegacia de Guaraí e confirmou que não havia nenhum registro relacionado a desaparecimento de bebê na região. A família suspeita que as fotos enviadas da suposta criança foram retiradas da internet.

“Também fomos à rodoviária, mas ninguém sabia de nada. A gente esperava que alguém falasse alguma coisa, pois é um sumiço de uma criança”, contou Michele. Ela ainda relatou que Edileusa conversou com o delegado em particular e, em seguida, ele chamou a família e pediu para Edileusa ‘contar tudo’.

DESFECHO

A suposta mãe afirmou na frente do delegado que não estava grávida e tinha inventado toda a história. Conforme Michele, Edileusa já contou em outra ocasião que ficou grávida e perdeu o bebê. A família considera o caso um mistério, pois ninguém sabe exatamente o que aconteceu e qual é a verdadeira história.

“Ela apresentou todos os sinais de gravidez. Acompanhei Edileusa nas consultas e ela iniciou o pré-natal. A barriga estava grande. Nunca imaginamos passar por uma situação dessa e tão constrangedora. Nós não sabemos se ela ganhou o bebê ou se ela perdeu. Esperamos que agora a justiça dê uma resposta para nós”, finalizou Michele.

Edileusa estava casada com um rapaz de 22 anos, que seria o suposto pai do bebê, mas depois de toda a história, eles se separaram. A Polícia Civil de Guaraí investiga o caso.

Foto: Divulgação
Cópia do anúncio que circulou nas redes sociais

Comentários pelo Facebook: