Sobral – 300×100
Seet

PM desocupa escola estadual e leva estudantes algemados para delegacia em Miracema

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Os estudantes foram levados algemados para a delegacia

Cerca de 23 alunos foram detidos pela Polícia Militar em Miracema do Tocantins, na manhã desta quinta-feira (27/10). Os estudantes estavam ocupando o Centro de Ensino Médio Dona Filomena Moreira de Paula. Eles protestavam contra a Medida Provisória do Ensino Médio (MP 746) e a PEC 241 que congela os gastos públicos por 20 anos.

O grupo, composto por estudantes secundaristas e da Universidade Federal do Tocantins (UFT), havia ocupado a escola no dia anterior, na quarta-feira (26/10). Muitos deles eram menores de idade.

Os jovens foram detidos, algemados e levados em uma van para a delegacia em Miracema, onde seriam ouvidos pelo delegado.

A Polícia Militar foi chamada pelo promotor de Justiça, Vilmar Ferreira de Oliveira, do Ministério Público Estadual (MPE) para desocupar o local. No início da tarde desta quinta-feira, vários alunos já tinham sido liberados.

Seduc

Procurada, a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informou que tomou conhecimento da ocupação do centro de ensino ainda na quarta, 26, e que o fato foi comunicado às autoridades responsáveis no município, com acompanhamento da Diretoria Regional de Educação (DRE).

Já a Polícia Militar do Tocantins informou que o promotor de Justiça de Miracema, Vilmar Ferreira de Oliveira, depois de tentar negociar, sem sucesso, a desocupação da unidade escolar, solicitou apoio da PM para acompanhá-lo até o colégio. O promotor então determinou que os policiais entrassem no prédio para pedir ao grupo de alunos que deixasse a escola.

Durante a conversa com os alunos, a PM disse que dois estudantes passaram a insultar e vaiar o promotor de Justiça e os policiais.

Diante da situação, o promotor Vilmar Ferreira de Oliveira determinou que os estudantes fossem recolhidos. O grupo resistiu e, por isso, foi necessário o uso de algemas até a chegada à delegacia, onde estão sendo seguidos os trâmites legais.

Foto: Divulgação
O promotor Vilmar Ferreira de Oliveira (camisa branca e gravata preta) acompanhou a desocupação

Comentários pelo Facebook: