Seet
Sobral – 300×100

Policial é acusado de agredir fisicamente advogada de 63 anos em delegacia de Paraíso do Tocantins

Redação AF - |
Foto: Atitude Tocantins.
Agente de polícia agride brutalmente advogada de 63 anos em Paraíso do Tocantins.

Uma advogada, de 63 anos de idade, disse que foi agredida fisicamente por um policial civil enquanto acompanhava um cliente na Central de Flagrantes de Paraíso do Tocantins. O fato teria acontecido na noite deste sábado (28/02) envolvendo a idosa Iara Maria Alencar, advogada mais antiga em exercício na cidade, e o agente Márcio Parrião.

A advogada, que atua na área criminal há cerca de 40 anos, contou que atendia um cliente menor de idade e que após se identificar para o agente de polícia constatou um início de tumulto envolvendo o adolescente. Naquele momento, segundo relato da advogada, ela tentou acompanhar a situação, mas foi interpelada pelo servidor público que a agrediu fisicamente e lhe empurrou duas vezes contra a parede e ainda imobilizou seu braço direito.

Diante da situação, uma mulher que estava na delegacia para registrar uma ocorrência tentou intervir na ação do agente contra a idosa, momento em que Márcio teria sacado sua arma e apontado para as mulheres, além de ter ordenado que elas se afastassem.

Após o tumulto, o fato foi comunicado à Subseção da OAB em Paraíso. O advogado Valdeni Brito acompanhou a colega advogada e foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra o agente.

Ainda na Delegacia, a advogada passou mal e foi encaminhada ao Hospital Regional da cidade pelo Corpo de Bombeiros. Ela só recebeu alta na manhã deste domingo (28/02), por volta das 10h30. A idosa foi submetida recentemente a um procedimento cirúrgico nos rins.

A OAB Seccional Tocantins também já designou uma comissão para acompanhar o caso e acionará a Corregedoria-Geral de Polícia Civil e Ministério Público Estadual para apurarem a conduta do agente.

Neste domingo, após obter alta, a advogada realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Paraíso e registrou ocorrência pelo crime de lesão corporal.

“Não aceitaremos nenhum tipo de desrespeito”, garante OAB

A OAB Subseção de Araguaína-TO e Associação Brasileira de Advogados Criminalista do Tocantins (ABRACRIM-TO) se solidarizaram com a advogada e se colocaram à disposição para adotar as “devidas providências e manifestações”. “Não aceitaremos nenhum tipo de desrespeito às prerrogativas do advogado, principalmente violência física ou moral. O advogado é indispensável à administração da Justiça, conforme art. 133 da Constituição Federal”, destacou.

A OAB classificou como “inaceitável que um servidor público, neste caso especifico um policial, tenha o comportamento de agredir a advogada ou seja lá quem for”. “Não aceitaremos, nem mesmo contra os piores criminosos, por isso deve o fato ser apurado na esfera administrativa, civil e criminal”, afirmou José Quezado, presidente da OAB Araguaína.

Veja mais

Conselho Federal da OAB exige providências criminais e administrativas contra policial que agrediu advogada

Comentários pelo Facebook: