Seet
Sobral – 300×100

Prefeito de Piraquê pede investigação da PF sobre sumiço de documentos e desvio de dinheiro da saúde

Redação AF -
Foto: Divulgação
Prefeitura de Piraquê. Município tem atualmente 2.688 eleitores.

Da Redação//AF Notícias

Foi protocolado na Polícia Federal de Araguaína (TO), no último dia 15 de dezembro, um documento que denuncia diversas irregularidades no Município de Piraquê (TO), região norte do Estado, e também foi solicitada a instauração de inquérito policial para apurar supostos desvios de recursos públicos da saúde.

O documento, assinado pelo prefeito Eduardo dos Santos Sobrinho (PMDB), empossado no dia 3 de dezembro, afirma que se deparou com diversas irregularidades, em especial a total falta de documentos de despesas, receitas, licitações, processos de Convênios, HDs-DISK HARD dos computadores, banco de dados contábeis, banco de dados patrimoniais e banco de dados de recursos humanos.

Transferências irregulares de recursos

Ainda segundo a denúncia, um dia antes de ser afastado, João Goiano transferiu R$ 70 mil da conta do Fundo Nacional de Saúde (FNS) para a conta de Tributos da Prefeitura e, no mesmo dia, usou o dinheiro para efetuar o pagamento de R$ 31.900,00 a uma empresa suspeita (I.S.Mendes) e R$38.748,00 para o Auto Posto PI.

“Ocorre que a conta do Fundo Nacional de Saúde (FNS) é de recursos específicos e não pode ser transferida para conta de Tributos, mesmo que seja da mesma prefeitura”, afirma o atual prefeito.

Intimados a depor na PF

Devem ser intimados a prestar depoimento na Polícia Federal de Araguaína o responsável do controle interno da Prefeitura à época, Zé Filho, o ex-prefeito João Batista Nepomuceno Sobrinho, e o empreiteiro, Irisvaldo Santos Mendes.

Crimes cometidos

Segundo a denúncia, os acusados cometeram, em tese, crime de responsabilidade, desvio de dinheiro público, realização de obras sem concorrência ou coleta de preços; peculato e corrupção passiva.

 

Comentários pelo Facebook: