Sobral – 300×100
Seet

Prefeitos de Filadélfia, Palmeirante, Barra do Ouro e Babaçulândia denunciam CESTE em Brasília

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Ceste estaria deixando de cumprir compromissos com municípios.

Os prefeitos das cidades tocantinenses impactadas pela Usina Hidrelétrica de Estreito (UHE) estão revoltados com o Consórcio Estreito Energia (CESTE). Uma audiência foi realizada no Ministério de Minas e Energia, em Brasília (DF), nesta quinta-feira (18), com a presença dos prefeitos Ivanilzo Alencar (Filadélfia), Charles Dias (Palmeirante), Lena Oliveira (Barra do Ouro) e Aleno Dias (Babaçulândia).

Na pauta, os gestores cobraram a intervenção do Ministério para que o Consórcio cumpra os compromissos de compensação ambiental assumidos em decorrência dos impactos causados pelo empreendimento nos municípios que foram atingidos pela construção do reservatório.

O senador Vicentinho Alves (PR) e o deputado federal Lázaro Botelho acompanharam os prefeitos na audiência.

Os parlamentares e os prefeitos foram recebidos pelo Secretário de Energia Elétrica do Ministério, Fábio Lopes Alves, que solicitou que cada município impactado apresente relatório individualizado contendo as ações previstas no Termo de Ajuste de Conduta – TAC e que não foram executadas, a fim de cobrar do consórcio a execução das obras que são de sua responsabilidade.

Os prefeitos também pediram explicação sobre a redução dos repasses aos municípios transferidos a título de “royalties”, quando foram informados de que os critérios de cálculo são definidos em lei e levam em conta a energia gerada e a tarifa de referência.

Comentários pelo Facebook: