Seet
Sobral – 300×100

Nove prefeitos se reúnem em Araguaína para alinhar interesses e discutir principais gargalos da região

Redação AF - |
Foto: Marcos Filho
O Consórcio Intermunicipal contará com 12 municípios da região centro-norte do Tocantins; próxima reunião será nesta quarta-feira, dia 1º, às 14 horas

Nove prefeitos e representantes de municípios integrantes do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional do Centro-Norte se reuniram em Araguaína, nesta segunda-feira (30), para alinhar os interesses comuns e definir ações para a busca de recurso e desenvolvimento para a região. Durante a reunião, cada prefeito elencou os dois principais problemas de seu município a fim de que fossem apontados os principais gargalos da região.

Uma nova reunião está marcada para a próxima quarta-feira, 1º, às 14 horas, para discussão e formatação do estatuto do consórcio e definição de uma posterior assembleia para adesão de novos municípios e eleição da diretoria.

As estradas vicinais e a pavimentação urbana foram apontada por todos, neste momento inicial, como o principal gargalo da região. Essas demandas serão apresentadas pelo Consórcio ao Governo do Estado.

Ronaldo Dimas, o anfitrião do encontro, pontuou a necessidade de organização do consórcio para que os Municípios saiam na frente. “Estamos num momento muito positivo, na última audiência que tive com o governador, vi que ele quer agir. E vai sair na frente quem estiver mais organizado”, ressaltou.

Consórcio

O Consórcio começou em 2013, com assinatura de Protocolo de Intenções, e conta atualmente com a participação de Araguaína, Wanderlândia, Nova Olinda, Babaçulândia, Piraquê, Carmolândia, Aragominas e Muricilândia. Participaram da reunião os representantes dos municípios de Filadélfia, Palmeirante, Santa Fé do Araguaia e Xambioá.

O consórcio propõe a melhoria da capacidade técnica, gerencial e financeira, através de políticas e ações conjuntas, visando a solução de problemas comuns. A secretária executiva de Captação e Gestão de Recursos, Karoline Galli, ressaltou as vantagens da adesão dos municípios ao Consórcio e explicou as exigências que devem ser cumpridas pelos municípios, como a dotação orçamentária disponível para eventuais contrapartidas dos projetos apresentados pelo Consórcio para captação de recursos.

“Eu acredito demais no consórcio e tenho esperança que venha a funcionar, basta que cada um de nós se empenhe ao máximo, pois é uma saída para atrair mais recursos para os nossos municípios”, lembrou o prefeito de Piraquê, Eduardo Sobrinho.

“Precisamos unir forças, o momento que estamos passando não é fácil, mas acredito que unidos a sociedade sairá ganhando”, comentou a prefeita de Xambioá, Shirley Patrícia Dias, que aproveitou a oportunidade para manifestar o interesse em aderir ao Consórcio.

Mais demandas

Outras demandas, de competência do Governo Federal, também foram apontadas, como unidades do Programa Minha Casa Minha Vida inacabadas, regularização fundiária e falta de água em assentamentos da Zona Rural.

“É uma das poucas chances que o pequeno e médio município tem hoje de conseguir recursos e alavancar o desenvolvimento econômico e social é através de ações conjuntas. Se chega um prefeito no Estado ou em Brasília para fazer uma reivindicação é uma coisa, se chegam 15 prefeitos, a força é muito grande. Basta a gente se organizar e colocar isso para andar”, explicou o secretário municipal de Administração, Joaquim Quinta Neto.

Comentários pelo Facebook: