Prefeitura de Goiatins não paga servidores há três meses; MPE propõe ação judicial

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Prefeito de Goiatins, Antônio Luiz.

Com salários atrasados há 3 meses, a prefeitura de Goiatins pode ser obrigada pela Justiça a regularizar o pagamento dos servidores. O Ministério Público Estadual (MPE) ajuizou nessa segunda-feira (25), uma Ação Civil Pública (ACP) com pedido liminar contra o município.

Na ação, o promotor Paulo Alexandre de Siqueira requer à Justiça concessão de liminar determinando que o município de Goiatins regularize, no prazo de 72 horas, a folha de pagamento da municipalidade, efetuando o pagamento de todos os servidores públicos que se encontram com seus salários atrasados.

O MPE ainda solicita que o município realize o pagamento dos servidores de forma consistente, até o 5º dia útil de cada mês, sob pena de imposição de multa pessoal ao prefeito, Antônio Luiz Pereira Silveira, sem prejuízo do bloqueio das contas municipais do FPM, ICMS, FUNDEB, FNS e ROYALTIES, no limite de 60% para fins de assegurar o pagamento dos servidores e da multa.

Ainda solicitou a expedição de ofício à Secretaria de Administração Municipal para que apresente a folha de pagamento municipal e a real situação salarial do município, bem com proceda ao recadastramento de todos os servidores no prazo de 60 dias.

A Ação foi ajuizada após servidores procurarem o MPE, no último dia 30 de maio, informando que estavam com remuneração atrasada há dois meses e que não foi pago o décimo terceiro referente a 2017. Em resposta ao ofício expedido pela Promotoria de Justiça local, o município de Goiatins reconheceu que vem pagando com atraso a remuneração, 13º salário e adicional de férias dos servidores públicos, sob a justificativa de que a prefeitura tem diversas dívidas judiciais a serem quitadas, decorrentes de precatórios e de requisições de pequenos valores. (Ascom MPE)

Comentários pelo Facebook: