Sobral – 300×100
Seet

Presidente do Sindiposto será interrogado sobre acusação de ser o mandante de homicídio de empresário

Agnaldo Araujo -
Foto: Divulgação
O presidente do Sindiposto é acusado de mandar matar o empresário

O empresário e presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Tocantins (Sindiposto), Eduardo Augusto Rodrigues Pereira, conhecido como Duda, já foi intimado para ser interrogado perante a Justiça no caso em que é acusado de ser o mandante do homicídio do também empresário Wenceslau Gomes Leobas de França Antunes, de 77 anos, conhecido como “Vencim”, em Porto Nacional, no início de 2016.

A intimação foi expedida pelo Juiz da 1ª Vara Criminal de Porto Nacional, Alessandro Hofmann Teixeira Mendes. A audiência está prevista para ocorrer no dia 13 de fevereiro de 2017.

O homicídio de Wenceslau Gomes teria sido motivado por interesses financeiros, já que ele estava instalando um posto de combustíveis em Palmas, onde praticaria preços inferiores aos de seus concorrentes, entre os quais está Eduardo Pereira, o Duda.

Foto: Divulgação
Empresário morto no início de 2016

O Ministério Público Estadual (MPE) apresentou denúncia contra o presidente do Sindiposto e a Justiça aceitou.

De acordo com a denúncia, Wenceslau Gomes já possuía um posto de combustíveis na cidade de Porto Nacional, no qual os preços são inferiores aos cobrados em Palmas. Por esse motivo, ele teria sido procurado anteriormente por Eduardo Pereira que lhe propôs um esquema de alinhamento de preço para anular a concorrência e aumentar a margem de lucros. Wenceslau Gomes teria rejeitado a proposta.

Tempos depois, após Vencim dar início à instalação de um posto de combustíveis na Capital, Eduardo Pereira haveria passado a ameaçá-lo de morte. As ameaças teriam se intensificado na semana anterior ao homicídio.

O empreendimento de Wenceslau Gomes afrontaria diretamente os interesses de Eduardo Pereira, já que seria instalado na TO-050, entre Palmas e Taquaralto, próximo ao campus de Ciências Agrárias da Faculdade Católica do Tocantins, em frente a uma área de propriedade do denunciado, também destinada à instalação de posto de combustível. Além disso, consta que Eduardo Pereira é arrendatário de um posto localizado no trevo de Taquaralto, que também concorreria diretamente com o comércio de “Vencim”.

Na época do crime, o empreendimento de Wenceslau Gomes contava com licença prévia, licença de instalação e com projeto de combate a incêndio aprovado pelo Corpo de Bombeiros, restando necessária para sua instalação apenas a anuência da prefeitura de Palmas para o desmembramento da área.

Comentários pelo Facebook: