PreviPalmas perdeu R$ 25 mil em apenas 23 dias com aplicação em corretora que deu prejuízo ao Igeprev

Redação AF - - 689 views
Foto: Divulgação
Fundo de Previdência dos Servidores de Palmas será alvo de inquérito do MPF

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins, Alberto Sevilha, requereu, no dia 7 de fevereiro, inspeção na aplicação de R$ 30 milhões feita pelo Instituto de Previdência Social do Município de Palmas (Previpalmas) numa empresa que teria causado rombo de R$ 400 milhões no Igeprev – Instituto de Gestão Previdência do Tocantins.

O fato suspeito foi revelado pelo jornalista de Brasília, Mino Pedrosa, numa publicação intitulada ‘PreviPalmas – a digital do crime’.

O jornalista revelou, com extratos e documentos, que o PreviPalmas aplicou R$ 30 milhões em fundos de investimentos administrados pela empresa Icla Trust Distribuidora de Títulos e Valores Imobiliários.

Conforme extrato, em apenas 23 dias, no período de 07/12/2017 a 29/12/2017, já houve uma perda de R$ 24.353,00.

Anteriormente, a referida empresa usava o nome NSG Capital Serviços Financeiros e Distribuidora de Títulos e Valores Imobiliários, mas alterou a denominação para ICLA Trust, em 15 de dezembro de 2014, logo após a polêmica do Igeprev.

Conforme o requerimento do conselheiro do TCE, a empresa ICLA Trust é suspeita de perda em aplicações no montante de 400 milhões de reais do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (IGEPREV-TO), quando usava como razão social o nome de NSG Capital.

Diante da suspeita de investimento em fundo podre, o conselheiro solicitou ao TCE que determine inspeção visando verificar a existência de atestado de capacidade técnica da empresa ICLA TRUST, comprovar capacidade técnica dos gestores da empresa e apresentar declaração patrimonial de cada gestor; e apresentar a carteira de clientes e resultados de evolução patrimonial do PreviPalmas após a contração da referida empresa ICLA TRUST.

O conselheiro quer também que seja apresentada a demonstração de liquidez para cobertura de eventuais perdas resultantes da operação de investimento e documentos comprobatórios que garanta a segurança, a solvência e transparência das aplicações, além de:

1 – Solicitar cópia das atas de reunião dos conselhos de Previdência e Investimento dos anos de 2016 e 2017;

2 – Aferir as certidões de regularidade fiscal, previdenciária, trabalhista, criminal e cíveis;

3 – Solicitar ao Instituto de Gestão Previdência Previdenciária do Estado do Tocantins – IGEPREV, documentação que comprove as operações de investimento, realizadas com a empresa ICLA TRUST Distribuidora de títulos e Valores Imobiliários, desde seu início até a presente data.

O requerimento de inspeção será decidido pelo pleno do Tribunal de Contas e, se aprovado.

Confira o requerimento do Conselheiro Alberto Sevilha – Requerimento-02-2018-Previpalmas.

Comentários pelo Facebook: