Seet
Sobral – 300×100

Professoras denunciam perseguição política e abuso de poder em Monte Santo

Agnaldo Araujo - | - 746 views
Foto: Divulgação
Prefeitura de Monte Santo do Tocantins

Nielcem Fernandes // AF Notícias

Duas professoras da rede municipal de ensino do município de Monte Santo do Tocantins, região central do Estado, acusam o prefeito Cleodson Aparecido (PRB) de perseguição política e abuso de poder.

Rosimeiry Ferreira de Lima é professora normalista do quadro efetivo desde agosto de 2002. Ela disse que foi remanejada arbitrariamente no início do ano para lecionar na zona rural, juntamente com a educadora Regina Glória Viana.

Segundo a denúncia, o prefeito teria contratado pessoas não capacitadas para lecionar na rede municipal. As remoções podem ser sido motivadas pelo grau de parentesco das educadoras com o ex-prefeito Francisco José (Dedé), já que Rosimeiry é irmã e Regina, esposa.

“Ele me tirou da Escola Municipal José Benicio Mariz, onde eu trabalhava, e colocou um contrato, mesmo dizendo que não tinha vaga. Tem bibliotecária, agende de saúde, merendeira, auxiliar de serviços gerais e até padeira ministrando aulas e ganhando acima do piso salarial”, denunciou.

A professora disse que o seu salário, cerca de R$ 3 mil brutos, não é suficiente para arcar com todas as despesas de locomoção. A prefeitura também não disponibilizou nenhum meio de transporte às professoras que agora trabalham a 25 km da sede do município.

Um ofício assinado por oito dos nove vereadores da Câmara de Monte Santo foi enviado ao prefeito solicitando o retorno das professores remanejadas para a zona rural. “Os vereadores já se mobilizaram. Não podemos pagar por isso, tenho família, preciso do meu serviço e o prefeito não nos atende. Simplesmente ignora a nossa presença”, lamentou a educadora.

Foto: Divulgação
Vereadores solicitaram o retorno dos professores a sede do município.

A reportagem não conseguiu fazer contato com o prefeito de Monte Santo. O espaço continua aberto.

Comentários pelo Facebook: