PSDC do Tocantins tem comissão dissolvida após declarar apoio a Kátia Abreu

Redação AF - | - 571 views
Foto: Divulgação
Max Fleury pede exoneração da presidência do PreviPalmas

A Comissão Provisória regional do Partido Social Democrata Cristão (PSDC) no Tocantins foi dissolvida pelo vice-presidente Nacional da Região Norte, Belsasar Roberto Lopes, através da Resolução nº 28, publicada na noite desse sábado (21). A medida foi uma resposta à declaração de apoio do partido à senadora Kátia Abreu (PSDT), pré-candidata ao Governo do Estado.

A sigla estava sendo presidida por Max Fleury, ex-presidente do PreviPalmas que pediu exoneração no dia 16 de fevereiro em razão de denúncias sobre irregularidades em investimentos num total de R$ 50 milhões. O ex-prefeito Carlos Amastha tentou se eximir da culpa responsabilizando os dirigentes do instituto.

Após o anúncio de apoio do PSDC ao projeto de Kátia Abreu, Amastha correu a passos largos e conseguiu uma resolução para obrigar o partido a ficar na sua base.

Fleury, contudo, insistiu no apoio à senadora. Por isso, ele foi destituído do cargo de presidente e nomeada uma nova comissão provisória, tendo como presidente o Bispo Guaracy Batista da Silveira, líder da Igreja Quadrangular no Tocantins.

A resolução diz que Max Fleury “se opôs à deliberação sobre as coligações na eleição suplementar de 3 de junho” e justificou a dissolução da Comissão Provisória na “necessidade de reorganização partidária”.

Kátia Abreu já tem o apoio do PDT, PSD, PEN e Avante. O PT também deve acompanhar a senadora na corrida ao Palácio Araguaia. Com essa coligação, a senadora terá cerca de 1 minuto e 40 segundos na TV.

Amastha possui apoio do PSB, PCdoB, PTB, Podemos e agora o PSDC, o que garante a ele 58,6 segundos de tempo de TV.

Comentários pelo Facebook: