Relação de servidores aptos à progressão funcional é enviada para análise da Comissão de Gestão

Redação AF - |
Foto: Aldemar Ribeiro
Com o objetivo de cumprir acordo com a categoria sindical, a Secad enviou o relatório para a Comissão de Gestão, Enquadramento e Evolução Funcional

A Secretaria de Estado da Administração (Secad) enviou o relatório para a Comissão de Gestão, Enquadramento e Evolução Funcional, contendo a relação dos servidores que estão aptos à progressão funcional. Contudo, a lista não foi disponibilizada à imprensa.

Conforme a Secad, todos os servidores que se enquadram nos critérios apontados pelos Planos de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCRs) até a data de 31 de dezembro de 2017, em suas respectivas categorias, já preencheram os requisitos a progredir horizontalmente ou verticalmente.

A lista dos aptos e inaptos também contempla servidores da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), do Quadro Geral e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins).

O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (Sisepe-TO) espera que a relação contemple todos os servidores aptos à evolução nos anos de 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018.

A progressão está prevista no plano de carreira do servidor e é concedida com base em uma série de requisitos, como assiduidade e qualificação, por meio de cursos, que visa incentivar o bom desempenho funcional no serviço público.

O sindicato explica que a publicação, pelas comissões, das progressões no Diário Oficial do Estado ainda não gerará efeito financeiro. O pagamento das progressões depende de uma portaria do governo mandando incluir os valores na folha.

O secretário de Estado da Administração, Neyzimar Cabral de Lima explica que, para chegar ao número de aptos a serem publicados leva certo tempo, pois os técnicos da pasta realizam um estudo para revisar todos os processos de concessões, visando garantir que nenhum servidor, que realmente tenha direito fique de fora.

“Da mesma forma, servidores que não foram inclusos nessa primeira publicação devem ficar tranquilos, pois à medida que cada caso for analisado e as inconsistências eliminadas, serão publicados novos atos”, explica.

Comentários pelo Facebook: