Sobral – 300×100
Seet

Reservatório de esgoto pode ser construído às margens do rio Lontra; moradores e indígenas denunciam ao MPE

Agnaldo Araujo - | - 504 views
Foto: Divulgação
A empresa nega que planeja construir reservatório de esgoto no local

Márcia Costa//AF Notícias

Moradores do Bairro JK, estudantes indígenas e representantes da Associação Guardiões do Rio Lontra protocolaram uma denúncia no Ministério Público Estadual contra a empresa BRK Ambiental para impedir a construção de um reservatório de esgoto às margens do Rio Lontra, em Araguaína. A denúncia, apresentada nesta quarta-feira (23), contém um abaixo-assinado com 250 assinaturas.

De acordo com estudantes indígenas que vivem numa chácara às margens do rio, técnicos da empresa BRK Ambiental entraram na propriedade fazendo medições e, quando questionados sobre o motivo da ‘invasão’, disseram que a empresa estaria planejando construir uma ‘fossa’ no local.

Para os moradores, a empresa BRK Ambiental é a principal causadora da poluição da água do Rio Lontra e com um reservatório de esgoto a situação ficará ainda pior.

“Os técnicos vieram e fizeram a medição para a construção de uma ‘fossa’ com o intuito de poluir ainda mais o Rio Lontra, como se não bastasse todo o prejuízo que eles têm causado para nós com esse esgoto, que para eles é tratado, mas sabemos muito bem que não existe tratamento. Os técnicos ainda disseram que vão bombear os dejetos para outro lugar, mas aqui é uma área baixa e não tem como subir esses dejetos”, disse a moradora Ilza Beth.

Nós sabemos das condições dessas fossas de tratamento. Causa fedor e polui rios, sendo impossível conviver próximo. Nós moradores da chácara do índio utilizamos o rio para tomar banho e pescar. Acho que vai se tornar impossível morar aqui com esse reservatório. A chácara é da União e sabemos que não houve autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai) e nem da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para invadir a chácara ou construir algo aqui dentro”, disse o estudante indígena Amaré Gonçalves Krahô Kanela.

O que diz a BRK Ambiental

A BRK Ambiental esclareceu que não realiza construções de fossas e que o trabalho visto pela comunidade se trata de um levantamento topográfico, realizado por uma empresa terceirizada. A ação, segundo a BRK, é parte de um estudo para implantação de rede coletora de esgoto, com futura construção de estação elevatória (que realiza a destinação de esgoto para uma estação de tratamento e não o descarte de efluente). Ainda não há local demarcado para a realização dessas obras.

A concessionária frisou que qualquer informação sobre as obras que a empresa conduz na cidade pode ser obtida através dos canais oficiais da empresa, como o endereço eletrônico aqui.

Foto: Divulgação
Abaixo-assinado feito pelos moradores

Comentários pelo Facebook: