Sobral – 300×100
Seet

Sem ação do Governo, Guarda Civil Armada reforçará segurança em Araguaína, promete Ronaldo Dimas

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Prefeito faz duras críticas ao descaso do Governo do Estado com a segurança pública e suas consequências para o povo de Araguaína

“A Constituição diz que a segurança é responsabilidade do Estado, mas, do jeito que a coisa anda em Araguaína, nós não podemos ficar esperando porque o atual governo não está dando conta”, afirmou o prefeito Ronaldo Dimas (PR), candidato à reeleição pela Coligação Araguaína Sem Parar, durante programa eleitoral veiculado na noite da última segunda-feira, 6.

Dimas explicou ainda que, logo que assumiu a Prefeitura, enfrentou uma grave onda de violência e não ficou de braços cruzados. “Determinei o fim da venda de bebidas alcoólicas em espaços públicos da Prefeitura, como o mercado e praças. E por um período determinei o fechamento de bares mais cedo”, disse.

Com essas atitudes, a violência diminuiu, mas, com a crise do Governo do Estado e a falta de investimento em policiamento e equipamentos, voltou mais intensa. “Faltam policiais, viaturas e recursos para as polícias Civil e Militar”, cobrou o prefeito.

Guardas nas ruas

Segundo o prefeito, a ajuda concreta começa a virar realidade com a criação da Guarda Municipal, cujo projeto de lei já foi aprovado pela Câmara Municipal.  “É desta forma que vou diminuir também a criminalidade em Araguaína. Vou criar a Guarda Civil Armada. Vou fazer o concurso no início do próximo mandato para 40 vagas”, adiantou Dimas. A guarda vai vigiar praças, escolas, unidades de saúde e o meio ambiente.

“Os guardas municipais estarão nas ruas, gerando a sensação de segurança que o nosso povo e o nosso comércio tanto precisam. Vão trabalhar junto com a PM e a Polícia Civil, de mãos dadas”, acrescentou.

O prefeito quer repetir a ação que derrubou os índices de acidentes de trânsito no perímetro urbano do município, com a criação da Agência Municipal de Trânsito e investimentos em equipamentos de fiscalização, como o monitoramento eletrônico do tráfego.

Força Nacional de Segurança

O prefeito também lembrou à população que, por o Estado não fazer sua parte, o Município terá que investir R$ 3 milhões em Segurança ao invés de investir, por exemplo, na pavimentação de bairros. “Temos um projeto de monitoramento por câmeras aguardando recursos do Governo Federal. Mas se o dinheiro não sair, vamos investir recursos próprios”, garantiu.

“Chega! A violência aqui passou dos limites. Estive em Brasília pedindo reforço da Força Nacional de Segurança, que só pode vir para Araguaína se o Governo do Estado pedir. Mas na opinião deles, Araguaína não está precisando de reforços”, ironizou.

Comentários pelo Facebook: