‘Sem desconfiômetro; é um mero produto de marketing’, diz Eduardo contra Amastha

Redação AF - | - 970 views
Foto: Divulgação
Eduardo Siqueira critica comparação de Amastha em relação a Palmas.

Nielcem Fernandes//AF Notícias

Palmas era um ‘patinho feio’ que foi transformada em ‘cisne’. A comparação é do prefeito licenciado Carlos Amastha (PSB) em discurso perante ministros e autoridades, para enaltecer sua gestão, durante posse na presidência da Federação Nacional dos Prefeitos (FNP).

No meio político, a fala do gestor provocou revolta, principalmente daqueles que participaram da construção da capital, a única cidade planejada do Estado. Indignado, o ex-governador Siqueira Campos (DEM) divulgou artigo criticando a postura do prefeito.

O deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM) também foi duro em sua resposta. “Esse cara tem que ter limite. Ninguém aqui tem sangue de barata. Ele tem que entender que as pessoas merecem respeito”, declarou em entrevista ao AF Notícias.

Muito indignado, Eduardo disse que nunca chegou a externar sua indignação como agora contra o Amastha, mesmo em três anos de duras críticas ao governo de Marcelo Miranda (PMDB), a quem faz oposição.

“Como ele pode dizer que o patinho feio que ele pegou (Palmas) se transformou na mais bela cidade do Brasil? Aí eu me pergunto: como ele veio construir um shopping em uma cidade patinho feio? Por que ele veio pra cá? Como ele conseguiu convencer as lojas âncoras do shopping a se instalarem em Palmas se a cidade era um patinho feio? Ele pegou a EDUCOM (Educação e Computador), que era apenas para os tocantinenses, e transformou em EADCON (Educação a Distância) que rende hoje mais de 20 mil ações judiciais contra a UNITINS (Universidade Estadual do Tocantins)? Esse cara ficou milionário aqui. Ele tem que ter limites”, declarou. Eduardo foi um dos primeiros prefeitos da capital.

A NOVA E VELHA POLÍTICA

Sobre as palavras de baixo calão utilizadas corriqueiramente por Amastha, e as ofensas proferidas aos políticos tradicionais do Estado, Eduardo disse que alguém tem que questionar as suas contradições.

“Ele chama todo mundo de vagabundo, todo mundo de velha política. Ele tem uma varinha de condão, porque quando o Júnior Coimbra (ex-deputado) passou para o lado dele é a nova política. Ele estava na frente do deputado Roberto Jefferson (condenado no Mensalão) falando da nova política. É um cara que não tem desconfiômetro. Vários que o apoiam hoje foram secretários do meu pai e são pessoas sérias. Ele tem que respeitar quem não o apoia e parar de jogar na vala comum, como ele fez com a senadora Kátia Abreu, dizendo que ela é uma interesseira que só quer eleger o filho. Ele goste ou não do deputado Irajá Abreu, ele tem inúmeros recursos destinados aos municípios tocantinenses e vai ser reeleito. Mas na hora que lhe conveio, a senadora era a melhor pessoa do mundo, quando ela trouxe recursos a Palmas. Tem de deixar de lado essa arrogância, esse narcisismo, esse ego. O grupinho que ele trouxe de Santa Catarina, que já veio cheio de investigações, maculado com processos, magicamente se transforma de velha em nova política. Temos que dar um basta. Quem é ele para separar o que é novo e o que é velho? Ele está nomeando essa semana pessoas do Bico do Papagaio para serem secretários em Palmas? Uma das mais velhas práticas políticas”, disparou o deputado.

Eduardo disse ainda que nem mesmo o atual governador mereceu essa dura crítica e alertou. “Não vou mais deixar que ele se refira às pessoas como vem se referindo, nem a Palmas como patinho feio”, avisou.

OBRAS QUE JÁ EXISTIAM EM PALMAS

O parlamentar lembrou de inúmeras obras executadasem Palmas bem antes da chegada de Amastha, a exemplo da duplicação da TO-050, Espaço Cultural, Estádio Nilton Santos, Aeroporto, Palácio, Praça dos Girassóis e muitas outras.

“Ele não fez nada disso. Ele não fez nem uma rede de esgoto. Não tem nenhuma estação de esgoto construída por ele e ele coloca isso em propagandas” e continuou alfinetando o pré-candidato ao Governo o comparando a um “mero produto de marketing, que age como marqueteiro 24h por dia, até ao dizer que foi morar em um bairro periférico para beneficiar a população”.

“Aqui ninguém tem sangue de barata, nós tocantinenses não temos baixa estima e ele vem dizer que transformou Palmas em produto de novela? Ficamos gratos de ver Palmas e o Jalapão na novela, mas o Jalapão não foi construído por ele. O que ele paga ninguém sabe. Posso apresentar três páginas da Revista Veja que não são produtos de merchandising, mostrando Palmas como a capital dos sonhos 10 anos atrás. Esse cara não pode chegar aqui agora e desmerecer tudo. Muita gente morreu aqui e tem raízes profundas nessa terra para ouvir calado. Ele é muito cheio de conversa”, justificou.

AMASTHA PASSA DE TODOS OS LIMITES

Eduardo disse ainda que Amastha passa de todos os limites ao ser indiciado pela Polícia Federal e dizer quer a instituição devia desculpas a ele.

“Alguém tem que dar um basta nele para entender que não somos idiotas. Eu fui contra a PEC do Estrangeiro, sou contra tapetão, ele tem o direito de disputar, só não tem o direito de faltar com o respeito, até mesmo porque está indiciado. Ele não tem como apontar o dedo para ninguém. É um homem público e tem que responder os questionamentos e não sair fazendo ‘pirela’ com a Polícia Federal, dizendo que deviam desculpas a ele. Ele passa de todos os limites. Ainda não começamos o processo político, mas sei que os milhares de robozinhos que ele paga na internet para denegrir a nossa imagem, devem estar lá com a ordem: fazer memes com o Eduardo. Eu não vou me calar com a falta de respeito dele para com os nossos antepassados, com as nossas raízes e com a nossa história. Jamais ofendi os meus colegas prefeitos”, disse indignado o deputado.

Para encerrar, o parlamentar reforçou o seu posicionamento em relação a postura de um homem de vida pública e cobrou explicações do colombiano.

“A velha política quem está praticando é ele. Quem está fazendo campanha antecipada, contrariando as recomendações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é ele. Isso está claro para a população do Tocantins. Ele nos ofende como se fôssemos um povo de baixa estima. Ele merece ouvir um basta e que faça a sua campanha com base em seus projetos. Quero que ele diga por que que não conseguiu fazer o BRT, explique por que não quebrou o monopólio da Miracema Transportes, explique por que não conseguiu implantar o Shopping a Céu Aberto, explique como ele gastou R$ 100 milhões com os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Ele usa sempre o truque das palavras orientado pelo marketing como se nós fôssemos idiotas. Chega! Sinceramente, não dá para aguentar essa cara de pau. Desse Estado ele só se beneficiou e ainda rebaixando a cidade que lhe deu condições de ser prefeito”, finalizou.

Comentários pelo Facebook: