Seet
Sobral – 300×100

Servidor público foi morto por asfixia após luta corporal; colegas se emocionam em despedida

Redação AF - | - 817 views
Foto: Divulgação/Defensoria Pública
Servidores prestam homenagem ao colega e se emocionam na despedida.

A Polícia Científica do Tocantins  já concluiu nesta terça-feira (26) que o analista jurídico da Defensoria Pública do Tocantins, Wanderson Rodrigues Lira, de 34 anos, foi assassinado por asfixia e os peritos também encontraram sinais de violência no corpo da vítima.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o suspeito Jheymes Sobrinho Wilder, que morava com a vítima desde o último sábado, está sendo procurado pela polícia.

Wilder teria roubado um tablet de Wanderson e entrado em luta corporal com ele. A briga entre os dois teria começado na porta da quitinete da proprietária do condomínio até a porta da quitinete da vítima, por volta das 4 horas da manhã.

A Polícia foi acionada, mas só chegou ao local por volta das 12h30, quando Wanderson já estava morto há aproximadamente 6 horas, segundo o Samu.

Velório e homenagens

Foto: Divulgação
Servidor foi assassinado por asfixia.

O velório do servidor foi marcado por dor e emoção na terça-feira (26). DPE-TO declarou luto oficial de três dias. Familiares, amigos e colegas de trabalho compareceram à cerimônia para dizer adeus ao companheiro, na casa da mãe dele (Dona Binoca), na cidade de Miracema do Tocantins. Wanderson Lira ingressou na Instituição como servidor efetivo em novembro de 2012 e trabalhava como analista jurídico no Núcleo Regional de Palmas.

Ainda pela manhã na terça-feira, 26, servidores da sede da Instituição se reuniram no auditório para um momento de oração e homenagem ao companheiro de trabalho. Em um encontro ecumênico, louvores, preces e orações foram entoados com o objetivo de fortalecer o sentimento de fraternidade e também como forma de pedir a Deus que conforte os familiares de Wanderson Lira.

Foto: Divulgação
Polícia procura o principal suspeito.

Compareceram ao velório Marlon Costa Luz Amorim, defensor público geral; Estellamaris Postal, corregedora-geral da DPE-TO; Neuton Jardim, presidente da Associação dos Defensores Públicos; Fabiana Razera, diretora do Núcleo Regional de Palmas; e Fábio Monteiro, defensor público que trabalhava diretamente com Wanderson Lira. O Coral Canto Nobre, formado por Servidores da Defensoria Pública do Estado do Tocantins, prestou a sua homenagem entoando canções durante a despedida do Servidor, que também era Membro do Coral.

Emoção

Em discurso de homenagem, os presentes se emocionaram na despedida. “O Wanderson estava lotado no meu gabinete há cerca de dois meses, mas apesar do curto espaço de tempo foi um contato muito proveitoso. Percebi que ele era uma pessoa muito amigável e atencioso no trato com os companheiros de trabalho e Assistidos. Me resta pedir a Deus que conforte a todos os seus familiares e que conduza o Wanderson ao reino dos céus porque lá é o lugar dele”, declarou o defensor público Fábio Monteiro.

Também analista jurídico da DPE-TO, o servidor Jorgan de Oliveira Soares desejou aos familiares força ao encarar a inevitável dor da perda. “Ainda na semana passada, o Wanderson esteve na nossa sala e ele estava muito feliz, falava sobre o quanto ele tinha sido bem acolhido pelo gabinete do doutor Fábio. Não sabíamos nós que aquele momento era a sua despedida, nosso último encontro.”

Comentários pelo Facebook: