Sobral – 300×100
Seet

Soldado é preso no 22º Batalhão do Exército após confessar homicídio no Tocantins

Redação AF -

A equipe de policiais civis da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), desvendou o latrocínio de Nivaldo Bernardes Borges, ocorrido na última quinta-feira (10), na praia do Prata, em Palmas (TO). O soldado do Exército, João Gabriel Tavares de Araújo, 19 anos, confessou o crime e foi preso nesta terça-feira (15).

Conforme o delegado Rossilio Souza Correia, após as investigações, a Polícia Civil localizou o veículo da vítima na região das Arnos com receptador Cleison Evangelhista dos Santos, de 25 anos. “Ao ser preso com o carro roubado, ele disse que o havia comprado de um soldado do exército, conhecido como João Gabriel Tavares de Araújo, de 19 anos”, afirma o delegado.

Após as informações prestadas por Cleison, os policias foram até o 22º Batalhão de Infantaria do Exército de Palmas, e, em algumas horas, localizaram João Gabriel. Ao ser interrogado na delegacia, ele confessou os detalhes do crime. “Em seu interrogatório, ele disse que a arma utilizada no crime foi cedida por outro soldado do exército, cujo nome corre em sigilo”, completa Rossilio.

De acordo com o delegado, a Polícia Civil tem  intensificado o combate e a repressão a furtos e roubos de veículos em todo o Estado. “Nossos investigadores estão nas ruas identificando e realizando o mapeamento dos locais, bem como das pessoas que estão de posse de veículos roubados ou furtados e, dentro dos próximos dias, novas prisões e apreensões poderão acontecer”, concluiu.

Cleison Evangelhista dos Santos está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP), e irá responder pelo crime de receptação. Já João Gabriel Tavares de Araújo se encontra recolhido no 22º Batalhão de Infantaria do Exército de Palmas, e irá responder pelo crime de latrocínio.

Sobre o crime

Conforme as apurações, a motivação do crime era a subtração de um veículo de propriedade da vítima. Apurou-se ainda que o autor do crime tinha um relacionamento amoroso com a vítima. Segundo o delegado, este fato foi fundamental para que João Gabriel atraísse a vítima para o local onde foi ela morta. Na ocasião, Nivaldo foi alvejado por disparo de arma de fogo e em seguida teve seu veículo furtado pelo assassino.

Comentários pelo Facebook: