Tocantinense bicampeão da Corrida de Belém começou no esporte apenas por diversão

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Atleta tocantinense vence Corrida de Belém (PA)

Nielcem Fernandes //AF Notícias

O tocantinense Noel dos Reis Alves é o atual bicampeão da Corrida de Belém (PA). A competição é realizada dentro das comemorações do aniversário da cidade e já está em sua 9° edição. A prova de rua acontece tradicionalmente no último domingo de janeiro de cada ano.

Em 2017 o atleta do Tocantins já havia conquistado o 1º lugar. Nesse ano, Noel completou o percurso em 3o minutos e 52 segundos e ganhou um vale compras de R$ 500. Para o atleta, 2017 foi um ano de vitórias. O corredor também ganhou a Corrida de São Luís (MA) e a Corrida do Trabalhador de Araguaína.

INÍCIO DA VIDA NO ESPORTE

O maratonista, natural de Araguatins, norte do Tocantins, começou a correr há exatos 10 anos quando participou de sua primeira prova na cidade de Rio Verde (GO) para promover a qualidade de vida. Ele revela que a corrida surgiu em sua vida por diversão e a motivação veio após a sétima colocação logo na primeira disputa.

“Já tem 10 anos que comecei a correr. A corrida surgiu na minha vida quando eu decidi participar de uma prova que promovia a qualidade de vida em Rio Verde, cidade onde eu trabalhava em 2007. Foi por brincadeira com meus colegas que me inscrevi, pois a premiação era R$ 500. Fiquei em 7º lugar dentre 1.200 inscritos e fiz a marca de 15 minutos 44 segundos nos cinco quilômetros”, explicou.

Após o excelente resultado, mesmo sem nenhum treinamento, Noel decidiu se dedicar e hoje vive exclusivamente do esporte.

“Vivo da corrida desde 2009 como atleta profissional. Comecei a ganhar premiações, sai de Rio Verde e fui para Goiânia. De lá para cá me mantenho com o apoio de patrocinadores e dinheiro das premiações”, disse.

Os treinos são diários na cidade de Araguatins, nas rodovias e até na zona rural, no norte do Estado.

DESAFIOS

Apesar de ser atleta profissional, Noel revelou que ainda encontra dificuldades para se manter em alto nível para participar das competições nacionais. A principal dificuldade, segundo ele, é a falta de patrocínio

“As maiores dificuldades que encontro aparecem na hora de viajar para competir. Por falta de dinheiro deixo de participar muitas vezes das corridas e de melhorar os resultados. Não tenho como ficar apenas treinando para provas grandes, por que tenho que ganhar dinheiro para me manter”, finalizou o atleta.

Foto: Divulgação
Tocantinense ganhou R$ 3 mil na prova de 2017. Esse ano não foi ofertada premiação em dinheiro

Comentários pelo Facebook: