Seet
Sobral – 300×100

Tocantins fecha parceria para ser grande exportador de alimentos aos países árabes

Agnaldo Araujo - |
Foto: Frederick Borges
O documento foi assinado no Palácio Araguaia

O Tocantins deve se tornar um grande centro de produção de alimentos voltados para exportação aos países do mundo árabe. Protocolo de Intenções nesse sentido foi assinado pelo governador Marcelo Miranda (PMDB) e pelo presidente das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras) e também diretor executivo da Central Islâmica Brasileira de Alimentos Halal (Cibal), Mohamed Hussein El Zoghbi.

A assinatura ocorreu na manhã desta quinta-feira, 01. O empresário foi até o Palácio Araguaia, sede do governo do Estado, acompanhado do deputado federal e presidente Grupo Parlamentar Brasil Países Árabes, César Halum.

Segundo o governador, o Tocantins pode ajudar não só no aspecto da segurança alimentar, mas também em outros setores. “O que precisamos é de projetos sustentáveis para montarmos uma agenda positiva. O Tocantins tem potencial para atender a diversos segmentos”, pontuou Marcelo Miranda, citando a logística rodoviária, ferroviária, hidroviária e o potencial hídrico, que colocam o Tocantins e a região amazônica em condições favoráveis para abastecer o mundo de alimentos.

Mohamed Hussein disse ver com bons olhos essa aproximação com produtores e empresários tocantinenses, uma vez que o Estado tem um grande potencial no que diz respeito à segurança alimentar. “A partir da assinatura desse Protocolo de Intenções vamos trabalhar em um programa para apresentarmos o Tocantins no exterior, visando grandes oportunidades de negócios existentes no Estado”, disse. Mohamed adiantou que os municípios serão envolvidos em um trabalho de prospecção, para identificação das vocações de cada localidade e, posteriormente, elaboração de um macroprojeto de apresentação do Estado e de suas oportunidades.

César Halum adiantou que o Grupo Parlamentar Brasil Países Árabes despertou para a importância desse segmento do mercado Halal, voltado para os consumidores muçulmanos, que representam mais de um bilhão de pessoas no mundo. Na visão dele, o Tocantins pode ser um dos grandes fornecedores desse mercado. “O Tocantins pode ser, inclusive, um modelo brasileiro a ser seguido”, ressaltou, adiantando ainda que o projeto da Zona Especial de Negócios de Exportação do Tocantins pode facilitar bastante esse processo.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandro de Castro, disse que vai realizar reuniões com a equipe de governo para enumerar ações voltadas para a sanidade, de preservação do meio ambiente, qualidade de produção para atender esse segmento de mercado. “Entendemos que temos todas as condições de atender as exigências desse mercado, mesmo porque, na maioria das nossas indústrias, já temos esse cuidado”, afirmou.

Protocolo de Intenções

Pelo documento assinado, fica instituída a cooperação institucional entre as partes, visualizando o incentivo e a instalação de indústrias no Tocantins, interessadas na produção, no preparo e no processamento de alimentos e produtos destinados ao cumprimento das exigências do Halal.

Prevê, ainda, intercâmbio de conhecimento, experiências e informações técnicas, além do desenvolvimento de ações que visem o desenvolvimento conjunto de projetos e programas para incentivar ações que cumprem essas exigências.

Certificação Halal

Toda exportação brasileira para qualquer país islâmico tem que ter o Certificado Halal. É um processo pelo qual uma agência controlada pelo governo e/ou uma organização islâmica reconhecida, certifica a aptidão das indústrias em praticar os procedimentos Halal, na produção, na armazenagem e na comercialização de produtos destinados aos consumidores muçulmanos.

Comentários pelo Facebook: