Unimed Centro-Oeste é condenada a pagar R$ 20 mil a servidora por negar assistência emergencial

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
A Unimed terá que pagar mais de R$ 20 à servidora

A Unimed Centro-Oeste, empresa operadora do Plansaúde, foi condenada a pagar R$ 20,840 mil a uma servidora pública por negar assistência em caso emergencial. A decisão é da 1ª Vara Cível de Araguatins, desta quinta-feira (24).

Conforme o Tribunal de Justiça do Tocantins, a empresa terá que pagar R$ 10 mil a título de indenização por danos morais em decorrência da recusa da assistência. Os outros R$ 10.840 são referentes aos gastos feitos pela servidora na rede privada de saúde.

De acordo com o TJ, a servidora precisava realizar um procedimento médico de emergência e a assistência foi negada pela Unimed. O estado de saúde dela se agravou, a paciente foi encaminhada para um hospital da rede particular e arcou com todos os custos.

A servidora pública solicitou à Unimed a restituição dos valores, mas o pedido não foi atendido. Na sentença, o juiz José Reis Júnior entendeu que o atendimento à usuária era uma responsabilidade contratual do plano.

Comentários pelo Facebook: