UTI Pediátrica de Araguaína começa a funcionar com benção concedida por padre

Agnaldo Araujo - |
Foto: Marcos Filho
A UTI Pediátrica começou a funcionar nesta segunda-feira, 23

A UTI Pediátrica de Araguaína começou a funcionar nesta segunda-feira (23). A instalação da unidade vai beneficiar crianças de Araguaína e de toda a região Macrocentro Norte. Nesta etapa inicial, serão disponibilizados dez leitos, sendo que dois deles serão ocupados de imediato.

O Ministério Público Estadual, a Associação das Mães que Amam (AMA), a Loja Maçônica Paz e Concórdia, outras entidades e a sociedade de modo geral se mobilizam há anos para a realização da obra e funcionamento da UTI.

Todo o processo de construção e instalação da unidade vem sendo acompanhado de perto pela promotoria da saúde em Araguaína. “Foi uma longa perseguição jurídica e social para chegarmos ao funcionamento desse serviço, que certamente, salvará muitas vidas”, destacou a promotora de justiça Araína Cesárea D’Alessandro.

A promotora relembra que a falta de uma UTI pediátrica na segunda maior cidade do Estado era um contrassenso, já que, segundo a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei n.° 8.069/90), a criança tem prioridade absoluta no atendimento na área da saúde.

A benção aos leitos, presidida pelo padre Jarbas Assunção Serpa, da capela Dom Orione, foi marcada por muita emoção. “Às vezes falta boa vontade e quando todos se unem conseguem um bem comum”, disse o padre.

Luís Eduardo Tolentino e a esposa Mayara Cabral perderam uma filha por não ter UTI disponível na cidade em 2016. Ele falou da alegria que sente com o funcionamento da unidade na cidade. “Minha filha precisava ser tratada aqui, sem os desgastes da remoção. E foi um peso na consciência não ter lutado por isso antes, porque só esperamos que alguém faça, mas é nosso dever também cobrar a responsabilidade do poder público. Voltamos para casa sem a nossa Helena”, disse.

A médica Ludmila Passos também falou sobre a emoção que sentia ao ver a unidade iniciar as atividades. “Nossa equipe irá procurar dar mais dignidade e conforto para as crianças que precisam da gente. A nossa missão é ter sempre esse espirito de procurar salvar vidas, fazer o possível e o impossível para garantir a vida. Claro que Deus é o senhor de tudo e se não há jeito, que sejamos o conforto às famílias, afirmou.

A UTI vai atender crianças com 28 dias de nascidas até 14 ou 18 anos, de acordo com as rotinas hospitalares internas. Será mantida por meio de um financiamento tripartite, uma cooperação entre Município, Estado e Governo Federal. 

 

Comentários pelo Facebook: