Seet
Sobral – 300×100

Venda de cachorro-quente na praia de Goiatins gera confusão entre prefeito e vendedor ambulante

Agnaldo Araujo - |
Foto: Sóstenes Teixeira
Trailer do vendedor ambulante

Agnaldo Araújo //AF Notícias

O prefeito de Goiatins (TO), Antônio Luiz (PR), estaria tentando impedir que um tradicional vendedor ambulante comercialize lanches na praia do município, sem nenhum motivo aparente. O comerciante disse que vende seus produtos na praia há cerca de 10 anos.

O vendedor, Sóstenes Teixeira de Oliveira, afirmou que possui o alvará de funcionamento e também o sanitário, necessários ao desenvolvimento do pequeno negócio. Segundo ele, com muita luta e sacrifício, conseguiu comprar um trailer no final de 2016 para impulsionar as vendas e logo providenciou todos os documentos.

Mas, de lá para cá, o prefeito vem tentando impedir a comercialização dos seus produtos. Conforme Sóstenes, ele foi pessoalmente à prefeitura solicitar autorização para vender cachorro-quente e salgados em frente ao Mercado Municipal, porém foi informado de que deveria formalizar o pedido por escrito.

Sóstenes conta que redigiu a solicitação e sua esposa foi entregar na prefeitura, mas não havia ninguém apto a receber o documento. A mulher retornou outras duas vezes na prefeitura, sem sucesso.

Como não podia ficar parado, Sóstenes resolveu colocar o trailer em frente ao Mercado Municipal e vender seus produtos, mesmo sem autorização da prefeitura. Dias depois, o comerciante foi notificado a retirar-se do local.

Para evitar problemas, o vendedor usava a energia elétrica de uma loja particular. “Não uso nada da prefeitura”, garante.

Depois desse episódio, Sóstenes conseguiu o alvará como ambulante, o que permite a venda dos produtos em locais públicos. Mas agora o prefeito quer impedi-lo de vender lanche na praia, período em que aumenta o número de turistas na cidade. “Todo ano entra prefeito, sai prefeito e ninguém nunca tinha me impedido de colocar o lanche lá [na praia]”, conta Sóstenes.

Segundo o comerciante, durante uma reunião entre os organizadores da praia e os vendedores ambulantes, realizada no dia 06 de junho, o prefeito reafirmou que ele estava proibido de vender lanche na praia. “Ele foi bem enfático ao dizer que não aceitava e ainda disse que vai procurar na justiça um meio de retirar o meu alvará de funcionamento”, relatou.

O outro lado

O prefeito de Goiatins se defendeu da acusação de perseguição. Segundo ele, a organização da praia está por conta de uma comissão e o vendedor não conseguiu a autorização porque todas as vagas já estavam preenchidas. “Quando ele [Sóstenes] falou conosco, as vagas de barraqueiros já estavam todas preenchidas, aí nem a comissão e nem eu podemos retirar alguém para colocar ele”, afirmou o prefeito.

O gestor também disse que o vendedor ambulante está querendo “tumultuar e criticar”. “Não vamos ceder aos caprichos políticos dele”, asseverou. O prefeito também disparou: “Em tudo que vamos fazer temos que procurar ser organizado para não ser feito de qualquer jeito”.

Segundo o prefeito, 10 barraqueiros de bebidas e comidas já estão credenciados para trabalharem na temporada de praia. Além desses, existem mais 2 lanches, uma barraca permanente no local e uma outra destinada ao pessoal da saúde.

Comentários pelo Facebook: