Seet
Sobral – 300×100

Vereador Terciliano Gomes é elogiado pelo deputado Marcos Feliciano por defender família tradicional

Redação AF - |
Foto: JM Notícia
Deputado Eli Borges, Marco Feliciano e Terciliano Gomes

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC), elogiou publicamente o vereador de Araguaína (TO) Terciliano Gomes, pelas posições tomadas recentemente, em que solicitou a retirada dos livros do Ministério da Educação que contém a chamada “ideologia de gênero”. “Parabéns pela atuação do vereador Terciliano por ter encabeçado o movimento ali em Araguaína, pedindo a retirada dos livros do MEC”, disse Feliciano.

Araguaína foi o primeiro município do Tocantins, e o segundo do país, a pedir a retirada dos livros didáticos das escolas públicas e particulares. De acordo com o vereador Terciliano, o Congresso Nacional, a Assembleia Legislativa do Tocantins e a Câmara dos Vereadores votaram contra a inserção deste tema nos livros didáticos.

“O que aconteceu em Araguaína foi resultado da união de todos os segmentos que não apoiam a ideologia de gênero, tanto dos católicos, quanto dos evangélicos, padres, pastores e a Câmara Municipal que se uniu em peso contra essa linha imposta pelo MEC nas escolas públicas”, declarou Terciliano.

O parlamentar de Araguaína também foi o autor da emenda que retirou a “ideologia de gênero” do Plano Municipal de Educação, que terá vigência durante 10 anos. Para o autor da emenda, “não é aceitável repassar atribuições das famílias aos professores”. “Quem tem que educar e orientar os filhos sexualmente são os pais e não as escolas”, afirmou o parlamentar.

Terciliano disse que fez pesquisas nos livros escolares atuais e identificou assuntos relacionados à ideologia de gênero, abordados de “maneira sutil”, em livro do 5º ano do Ensino Fundamental. Em um dos trechos, o sexo é abordado claramente, mesmo o livro sendo direcionado a crianças com idade de até 10 anos.

A expressão também foi retirada do Plano Estadual da Educação (PEE) do Estado.

Entenda: Ideologia de Gênero

Para os líderes religiosos, a expressão “gênero” representa uma das mais devastadoras ideologias que pretendem reconstruir a sociedade através da destruição da família, concebida originariamente como a união entre homem e mulher.

O termo “gênero” significa a autopercepção que cada ser humano tem acerca de sua própria sexualidade, o que não coincide necessariamente com a sexualidade, quando considerada biologicamente (homem ou mulher).

A expressão entrou no cenário político internacional na Conferência sobre a Discriminação contra as Mulheres, realizada em 1995 pela ONU em Pequim.

Comentários pelo Facebook: