Sobral – 300×100
Seet

Vereadores de Araguaína aprovam ‘moção de aplausos’ ao deputado Bolsonaro por sua “linha dura”

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Jair Bolsonaro é homenageado com Moção de Aplausos

A Câmara Municipal de Araguaína concedeu nesta quarta-feira (03) Moção de Aplausos ao deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC-RJ). A homenagem foi proposta pelo vereador Divino Bethânia Júnior (PROS) e aprovada por unanimidade na Casa de Leis.

O parlamentar justificou em plenário os ‘aplausos’ ao deputado Bolsonaro. Inicialmente, Bethânia Júnior frisou que o deputado carioca tem uma “linha dura” contra a criminalidade, defende o porte de arma para o cidadão e também não se envolveu em escândalos de corrupção.

“Ele, de forma muito clara, tem seu posicionamento duro com relação à criminalidade. Ele diz palavras e se comporta em plenário como nós vereadores, nós cidadãos de bem. O deputado Jair Bolsonaro defende o armamento para o cidadão defender a sua casa”, argumentou o vereador.

Para embasar o argumento pró-armamento, Bethânia Júnior usou dados da criminalidade em Araguaína referentes a janeiro de 2017. “Deus, na sua infinita misericórdia, permitiu que pelo menos 15 [bandidos] fossem para o inferno. Foram 16 homicídios registrados em Araguaína, em janeiro. Quinze são marginais“, afirmou Divino Bethânia.

O parlamentar frisou que, com o porte de arma, o cidadão terá condições de se defender dos bandidos. Ponderou, conduto, que a princípio aumentaria o número de homicídios, mas só morreriam os “marginais”.

O autor da moção citou ainda que o nome do deputado Bolsonaro não consta na lista de Fachin, do STF. “Não recebeu e nem foi denunciado por receber dinheiro da corrupção da Odebrecht. Ele não foi citado”. Em relação às bandeiras defendidas por Bolsonaro, Divino afirmou que não esconde a sua admiração. “Está representando o povo. Quisera, tivéssemos mais dessa mesma linha”.

Ao final da argumentação, o vereador Divino Bethânia comentou também sobre outra bandeira defendida por Bolsonaro: a redução da maioridade penal. “Esses jovens menor de idade têm muita consciência do que fazem. Acredito que temos que reformar o Brasil. Temos que dar esse remédio amargo“, finalizou.

(Com informações do Araguaína Notícias)

Comentários pelo Facebook: