Araguaína

Capixaba diz que saúde de Araguaína só piorou com IBGH e questiona contrato milionário da Fundação Restaurar

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

08/06/2016 19h00 - Atualizado há 1 mês
O vereador de oposição João Batista Xavier (Batista Capixaba) apresentou quatro requerimentos na sessão da Câmara Municipal de Araguaína (TO), na última segunda-feira (06/06), para convidar secretários e diretores de empresas privadas a prestar esclarecimentos na Casa de Leis. Todos foram aprovados por unanimidade. Um dos requerimentos convida o diretor do Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), Roberto Leandro, para esclarecer denúncias referentes à superlotação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Municipal, falta de alimentação, atraso de salário dos profissionais, demora de consultas, demora nos exames de laboratório e reduzido número de funcionários. O IBGH é o responsável pela gestão das unidades de saúde. O vereador também afirmou que possui "vários documentos" que comprovam ilegalidades e irregularidades praticadas pelo instituto. “Eu tenho vários documentos aonde comprovam que servidores desse instituto, que atuaram em outra cidade,  fizeram 'maracutaia'”, disse. Para Capixaba, a saúde de Araguaína só piorou com a chegada do IBGH. “A gente observa que a saúde de Araguaína piorou. Está aí [o instituto] há um pouco mais de seis meses e às vezes falta alimentação na UPA, às vezes falta servidores no Hospital Municipal de Araguaína, falta exames no ambulatório e as coisas não estão acontecendo como deveriam acontecer”, asseverou. Convite à primeira-dama Outro requerimento do vereador convida a primeira-dama, Nil Dimas, para comparecer à Câmara com a finalidade de esclarecer sobre denúncias relacionadas à Fundação de Atividade Municipal Comunitária (Funanc), principalmente quanto ao financeiro da entidade, sobre a emissão de recibos manuais e a situação das funerárias que prestam serviço no município. Segundo denúncias, os pagamentos da contribuição devida pelas funerárias à FUNAMC eram feitos em espécie, na própria fundação, e era fornecido apenas um recibo como prova do pagamento. Buriti Serviços e Instituto Restaurar Outro requerimento solicita que o representante da empresa Buriti Serviços, de Goiânia, o advogado José Carlos Chagas, também compareça à Câmara com a finalidade de esclarecer sobre o número de funcionários da empresa e os atrasos salariais que se tornaram constantes. A Buriti é responsável pela limpeza das Unidades Básicas de Saúde (UBS). O último requerimento do vereador convida o diretor da Fundação Evangélica Restaurar para prestar esclarecimentos também sobre o atraso de salário dos funcionários, número de contratados, bem como o valor do contrato firmado com o Município, que é na ordem de milhões de reais, segundo o vereador. O instituto apenas terceiriza mão-de-obra na Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura. Para o vereador, essa terceirização é ilegal. Acrescentou ainda que, só este ano, a Fundação já recebeu mais de R$ 6,6 milhões. De acordo com Batista Capixaba, os requerimentos são para esclarecer à Câmara e à sociedade araguainense sobre as denúncias que têm sido repercutidas tanto na imprensa quanto nas redes sociais.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.