Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Pugmil

Ex-vereador aciona Chefe do MPTO para apurar sumiço de denúncia sobre desvio milionário

Ele chegou a acionar até o Conselho Nacional do Ministério Público.

Por Arnaldo Filho 1.768
Comentários (0)

18/07/2020 08h40 - Atualizado há 4 meses
Ex-vereador Fabiano Peixoto Cardoso protocolou ofício na Procuradoria Geral de Justiça

Ainda no ano de 2012, o então vereador do município de Pugmil (TO) Fabiano Peixoto Cardoso protocolou no Ministério Público de Paraíso do Tocantins uma representação denunciando supostos desvios de recursos públicos na ordem de R$ 4 milhões na prefeitura da cidade. 

Conforme o ex-vereador, foram entregues à Promotoria de Justiça do Patrimônio Público quatro volumes de documentos, totalizando mais de 1.500 páginas, com informações sobre as irregularidades, a fim de dar suporte à investigação criminal contra a então prefeita, secretário de Finanças e servidores da prefeitura.

A denúncia cita licitações que teriam sido fraudadas com a participação de empresas de fachada, pagamento ilegal de diárias, locação irregular de veículos, dentre outras.

Contudo, segundo o ex-vereador, os documentos simplesmente desapareceram misteriosamente de dentro da sede do Ministério Público em Paraíso.

RECLAMAÇÃO NO CONSELHO NACIONAL

Fabiano Cardoso disse que após 3 anos da denúncia e inúmeras cobranças na Promotoria sobre o andamento da investigação, sem que obtivesse informações concretas, decidiu fazer uma reclamação junto ao Conselho Nacional do Ministério Público, em Brasília (DF), e soube que os autos da denúncia haviam desaparecido. Por sorte, o ex-vereador disse que manteve uma cópia de todos os documentos.

RECLAMAÇÃO NA PROCURADORIA GERAL DO MPTO

No dia 7 de julho de 2020, Fabiano Cardoso decidiu acionar a Procuradora Geral de Justiça do Tocantins, a Chefe do MPTO, Maria Cotinha Bezerra Pereira. No ofício, o ex-vereador questiona as medidas adotadas em relação ao desaparecimento da denúncia, bem como as ações judiciais para responsabilização dos ex-gestores de Pugmil quanto ao suposto desvio milionário.

“Já se passaram quase 10 anos após o protocolo da mencionada denúncia de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Pugmil e venho sendo cobrado por parte da sociedade sobre o verdadeiro andamento da denúncia”, relata o ex-parlamentar no ofício.

O QUE DIZ O MPTO

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) confirmou, em nota, que o documento foi protocolado no dia 07 de julho e encontra-se no Cartório da Assessoria Especial que realizou buscas nos sistemas do MPTO e CNMP. Porém, devido à ausência de número do protocolo e outros dados que possibilitem a localização da denúncia formulada em 2012, informações estão sendo solicitadas ao denunciante para que seja possível localizar a denúncia formulada há mais de 8 anos.

Conforme o Ministério Público, além da Corregedoria-Geral do MPTO,  a Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) promoveu inspeção extraordinária na Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Paraiso, em outubro de 2013, e os relatórios das inspeções, bem como as demais informações solicitadas serão disponibilizadas dentro do prazo legal.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.