Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Bastidores em Palmas

Veteranos e novatos estão de olho na presidência da Câmara, mas escolha passa por Cinthia

A mulher mais votada, Janad Valcari, também está no páreo da disputa.

Por Arnaldo Filho
Comentários (0)

01/12/2020 09h37 - Atualizado há 1 mês
Mesa Diretora da Câmara de Palmas

A escolha do próximo presidente da Câmara de Palmas já está causando burburinhos nos corredores do Poder Legislativo Municipal, bem antes da posse dos novatos. São 19 cadeiras na Casa de Leis, sendo que 11 serão ocupadas por novos parlamentares.

O atual presidente, Marilon Barbosa (DEM), é apontado como candidato natural, e também favorito, pois foi o mais votado em 2020; ficou na chapa da prefeita reeleita Cinthia Ribeiro (PSDB) e possui livre trânsito no Palácio Araguaia e na Assembleia Legislativa, em razão do seu irmão - Wanderlei Barbosa – ser o vice-governador e do sobrinho, Léo Barbosa (SD), deputado estadual. Como gestor, Marilon pagou todas as dívidas herdadas da gestão anterior, comandada pelo vereador Folha Filho (Patriota), e promoveu outras adequações na Casa.

Parlamentares reeleitos também desejam a cadeira de presidente

Já os vereadores reeleitos, Rogério Freitas (MDB), Folha Filho (Patriota) e Moisemar Marinho (PDT) também manifestaram desejo de assumir a presidência. Cada um deles tem lá suas qualidades, mas também, algumas rejeições.

Freitas já foi presidente e, na sua gestão, travou a pauta por seis longos meses. É um sujeito arredio, não afeto a interferências ou “pitacos” na sua gestão e isso causa certo temor nos articuladores do Paço Municipal. Seu trunfo é pertencer ao partido do senador Eduardo Gomes (MDB) que, pela via indireta, tem muita influência direta e poder junto à prefeita Cinthia Ribeiro. 

Folha Filho também já exerceu a presidência, no entanto, foi preso durante a gestão por suspeita de envolvimento em um suposto esquema de corrupção que teria desviado R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. Assim, acabou manchando o nome da instituição. Sua gestão se perdeu nos últimos seis meses e Folha acabou deixando várias dívidas para o seu sucessor (Marilon). Por fim, sua relação com Cinthia Ribeiro está um tanto quanto na gangorra. Assessores do Paço garantem que – por conveniências políticas – a prefeita apenas o tolera, mas não deseja vê-lo no exercício de um cargo tão importante. 

Por fim, o vereador Marinho foi eleito pela oposição. Sua ascensão ao cargo não é impossível, contudo, é pouco provável. A prefeita reeleita elegeu oito vereadores em sua chapa, mas sabe que pode contar com Laudecy Coimbra (SD) por ser sua líder de governo, como também com Solange Duailibe (PT), em razão dos vínculos do seu grupo político – seu esposo Raul Filho está filiado ao MDB – com o Paço Municipal.

Oposicionista Janad Valcari corre por fora...

A vereadora de primeiro mandato, advogada e professora Janad Valcari (Podemos) também manifestou desejo de concorrer ao cargo de presidente. Ela foi a 3ª mais votada e saiu fortalecida, mas dificilmente a oposição conseguirá reunir 10 votos, haja vista a sólida base que a prefeita conseguiu formar. 

Por falar nisso, os bastidores indicam que Cinthia Ribeiro – aproveitando a base robusta – pode investir na eleição de Eudes Assis (PSDB), um dos seus fiéis escudeiros. Porém, se o novato não decolar e ela tiver de escolher um dos veteranos, as opções seriam Filipe Martins (PSDB) ou o próprio Marilon Barbosa, após consulta à base dela no parlamento. 

A verdade é que analisando as intercorrências havidas em outras eleições para presidente, como também o atual contexto, dificilmente a Câmara de Palmas será comandada por um novato a partir de 2021.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.