Eleições 2018

Amastha diz ter sido impedido de realizar reunião com PMs; Comando nega interferência

O candidato criticou a atitude e afirmou que houve interferência do Comando da Polícia Militar.

Por Nielcem Fernandes
Comentários (0)

15/09/2018 09h18 - Atualizado há 3 anos
Amastha criticou a atitude e acusou Comando de impedir a reunião

Em vídeo divulgado nas redes sociais nessa sexta-feira (14), o candidato a governador Carlos Amastha (PSB) acusou o comando da Polícia Militar de barrar uma reunião política com a Associação de Praças do Bico do Papagaio. 

O encontro estava agendado para ocorrer na tarde dessa sexta-feira (14), em Araguatins, segundo o candidato. Amastha criticou a atitude e afirmou que houve interferência do comando da corporação para impedir a reunião.  

Infelizmente, o Comando interferiu e pediu para cancelar a reunião. Isso é muito triste. Vocês tem que ser respeitados independente de suas opiniões políticas. Eu garanto que, como governador, isso acaba. A Polícia Militar não é um instrumento político”, disse o candidato.

Amastha cumpriu agenda no norte do Estado nesta sexta e terá mais compromissos neste sábado (15). O candidato terá reuniões em São Miguel, Sítio Novo, Axixá, Augustinópolis, Buriti e Esperantina. 

O OUTRO LADO

Em nota, a Polícia Militar do Tocantins afirmou que "não cabe a gestão pública promover ou proibir reuniões políticas".

"O comando geral da PM é o maior representante e defensor da Democracia. É direito constitucional à livre reunião", garantiu. 

A PM reforçou que "respeita e não interfere no direito do policial militar como cidadão e que não teve nenhuma participação no cancelamento da reunião".

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.