Vacinas

Capital do Tocantins pode ter atraso na 2ª dose após queda na produção da Fiocruz

Capital tocantinense pode haver atraso ou falta para aplicar 2ª dose.

Por Joselita Matos
Comentários (0)

10/09/2021 11h21 - Atualizado há 4 meses
Centro de produção de vacinas da Fiocruz.

Com a redução da entrega do número de doses de vacinas contra a Covid-19 pela Fiocruz, cinco capitais brasileiras devem sofrer algum tipo de atraso ou falta do imunizante para a aplicação da 2ª dose na população.

A previsão da Fiocruz era entregar ainda em setembro 15 milhões de doses da vacina, mas o próprio Ministério da Saúde já prevê uma quantidade menor, pouco mais de 12 milhões de doses.

QUANTIDADE DE DOSES

Na próxima semana, quando a distribuição deve ser retomada, o Ministério conta com 5,1 milhões de doses – esse número está de acordo com a estimativa que a Fiocruz tem internamente, de menos de 6 milhões de doses.

Enquanto a vacina não chega, em pelo menos cinco capitais (João Pessoa, São Paulo, Belo Horizonte, Palmas e Florianópolis) pode haver atraso ou falta do imunizante para aplicação da 2ª dose. 

Os municípios aguardam orientação das respectivas secretarias de saúde e do Ministério da Saúde quanto a intercambialidade (aplicação de outro imunizante) das vacinas.

DIMINUIÇÃO DO IFA IMPORTADO

A explicação para a diminuição do volume de doses produzidas, segundo a instituição, é a quantidade de IFA recebido. No início do ano houve o que eles chamam de ‘aceleração’ na entrega do insumo, por parte da Astrazeneca, mas, depois, supostamente por conta da alta demanda internacional, a farmacêutica voltou ao que foi originalmente previsto no contrato.

REDUÇÃO MÊS A MÊS

A queda nas entregas entre maio e julho foi de 30%. Entre maio e agosto, a produtividade despencou 46%. O mês de agosto terminou com menos doses entregues do que os quatro meses anteriores, representando o terceiro mês de queda.

Em maio, a Fiocruz registrou a maior remessa já entregue, com 21 milhões de doses com a fórmula da AstraZeneca disponibilizadas para o Ministério da Saúde. Em junho, esse número caiu para 18,2 milhões de doses. Em julho foram 14,5 milhões de doses. Em agosto foram 11,4 milhões de doses entregues, incluindo a remessa enviada ao PNI, na última sexta-feira do mês (27/8).

Com isso, a Fundação totaliza 91,9 milhões de doses antes das duas semanas de interrupção nas entregas ao PNI – isso representa 8 milhões a menos do que o que foi inicialmente estimado para o primeiro semestre. Ou seja, menos doses e mais tempo de produção do que a própria fundação previa.

Sobre isso, a Fiocruz afirma que recebeu 15 lotes de IFA suficientes para a produção de cerca de 93 milhões de doses. Mais três lotes de IFA mensais estão previstos para serem entregues nos meses de setembro, outubro e novembro. A quantidade de matéria-prima, segundo a Fiocruz, vai gerar 70 milhões de doses de vacina até o fim do ano.

Veja a quantidade de doses entregues mês a mês:

Janeiro: 2 milhões (doses prontas importadas da Índia)

Fevereiro: 2 milhões (doses prontas importadas da Índia)

Março: 2,8 milhões por produção nacional com IFA importado

Abril: 19,7 milhões por produção nacional com IFA importado

Maio: 21 milhões por produção nacional com IFA importado

Junho: 18,2 milhões por produção nacional com IFA importado

Julho: 14,5 milhões por produção nacional com IFA importado

Agosto: 11,4 milhões por produção nacional com IFA importado

Total até agora: 91,9 milhões de doses

(Com informações da CNN)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.