Araguaína

'Existem crianças que não têm um cuscuz para comer', lembra presidente da Casa de Davi

Os menores carentes atendidos têm de 6 a 17 anos e são moradores de vários setores.

Por Redação 599
Comentários (0)

28/07/2021 09h04 - Atualizado há 9 meses
Jalleson Franklin, atual presidente da casa de apoio

Quase 150 crianças e adolescentes carentes, que têm de 6 a 17 anos e são moradoras de vários setores de Araguaína, são atendidas no Projeto Casa de Davi com atividades recreativas, reforço escolar, cursos no contraturno das aulas, entre outros apoios socioeconômicos. A instituição sem fins lucrativos atua há oito anos na sede que fica no Setor Palmas e em um polo avançado no Setor Maracanã.

São crianças como Kaique Gonçalves da Silva, de 14 anos, que está no projeto desde os 6 anos. “Eu cresci aqui, tenho amigos, a gente brinca e come bolo. Vinha participar antes de ter essas salas”, disse. Além de ser aluno, o menino foi acolhido pelo atual presidente Jalleson Franklin, de 31 anos, junto com mais dois adolescentes.
 
Quando morei dentro da sede, a gente acordava com crianças pedindo o café da manhã. Às vezes, nos isolamos no nosso mundo e esquecemos que existem crianças que não têm um cuscuz para comer. Então, o nosso trabalho aqui é acompanhar e oportunizar coisas novas. Muitos nunca foram ao cinema, na exposição agropecuária ou mesmo comer lanche no centro da cidade", explicou Jalleson.
 
A instituição também faz o acompanhamento das crianças junto aos pais e professores para encaminhar os casos aos diversos serviços do Município, como CREAS (Centro de Referência em Assistência Social), CRAS (Centro de Referência em Assistência Social), Funamc (Fundação de Atividade Municipal Comunitária), Conselho Tutelar e, ainda, parceiros que prestam serviços gratuitamente.
 
Parceria

Até este mês, a casa funcionava somente com voluntários e agora passará a contar com servidores cedidos pela prefeitura, sendo eles: educador físico, auxiliar administrativo, assistente social e pedagogo. “Esse apoio vai possibilitar a gente ampliar o número de crianças e adolescentes atendidos”, afirmou o presidente.
 
Por meio do Programa Compra Direta, é feita doação de mais de 1 tonelada de alimentos frescos trazidos diretamente da zona rural de Araguaína e região. São produtos como milho e mandioca, que viram bolos, maracujá, que é transformado em suco, e outras frutas, como a melancia, suculenta e ideal para os dias quentes de julho.
 
Estrutura

Na sede da instituição, há uma quadra de futsal, cozinha, banheiros e uma sala que é usada para reforço escolar e aulas de ballet. Ainda um laboratório de informática adquirido com recursos do FIA (Fundo da Infância e Adolescência) será inaugurado neste ano e uma quadra de areia já está em construção.
 
Tudo é mantido e construído com ajuda de empresas amigas e doações de pessoas. O contato para apoiar a Casa de Davi pode ser feito pelo perfil @projetocasadedavi no Instagram ou telefone 99235-7604 (Whatsapp).

Outras casas

A Prefeitura ainda mantém as casas Ana Carolina Tenório e Lar, que já acolheram mais de 860 crianças e adolescentes com vulnerabilidade social na cidade. 

Crianças brincando
Casa de Davi tem um laboratório de informática adquirido com recursos do FIA

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.