Capital do Tocantins

Jovem transexual tem dificuldade para embarcar em voo no Aeroporto de Palmas

Por Redação AF
Comentários (0)

12/12/2017 11h44 - Atualizado há 2 meses
Um jovem de 27 anos teve dificuldades para embarcar em um voo comercial com destino a São Paulo (SP) usando seu nome social, na madrugada desta terça-feira (12). Seria mais um embarque entre os muitos realizados, todos os dias, no Aeroporto Internacional Lysias Rodrigues, na Capital do Tocantins. Porém, o embarque foi possível após a intervenção da Defensoria Pública Estadual, que enviou ofício à companhia aérea a fim de garantir que o jovem, que é transexual, pudesse embarcar mesmo sem ter o documento de identidade com o nome social. "A companhia aérea me disse que eu só poderia embarcar se eu tivesse uma decisão judicial. Eu recebi essa informação como um impedimento do meu direito de ir e vir, que é garantido na Constituição. Senti os meus direitos violados", relatou o jovem. Em ofício encaminhado à companhia aérea, a defensora pública Valdete Cordeiro da Silva solicitou que fosse permitido o embarque do jovem, informando que ele apresentaria, junto com o documento de Registro Geral (RG), outros documentos que já têm seu nome social, permitindo, com isso, a identificação do passageiro. A defensoria frisou que o livre exercício da orientação sexual e de gênero é um direito humano. Além disso, expôs os efeitos do Decreto nº 8.727/2016, que assegura o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. À véspera da data da viagem do jovem, a companhia aérea respondeu a DPE informando que o embarque seria honrado. Contudo, a empresa também ressaltou que o procedimento de exigência de documento com foto é uma regra da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). ENTENDA O jovem é do sexo feminino e, por isso, foi registrado com nome feminino. Desde 2014, ele faz tratamentos utilizando hormônios masculinos para que sua aparência esteja coerente com o gênero no qual ele se identifica. Atualmente, o jovem está diferente da foto de seu documento de identidade, emitido antes de ele iniciar a terapia hormonal. Considerando que essa diferença poderia dificultar o embarque, além da falta do nome social no documento oficial de identificação, ele mesmo procurou a companhia área – por meio dos canais de atendimento ao cliente e também via redes sociais – para informá-la da situação e, ainda, para deixá-la a par de que, em seu dia a dia, ele utiliza um nome social masculino. Mas o jovem não teve a confirmação de que o embarque seria garantido. Diante disso, ele procurou a DPE a fim garantir os seus direitos.

Comentários (0)

Mais Notícias

Perigo

Crianças são arrastadas por enxurrada enquanto banhavam em córrego de Palmas

Os garotos tomavam banho no córrego quando foram surpreendidos pela força da água.

Engavetamento

Ônibus perde freios e provoca engavetamento na principal avenida de Araguaína

O engavetamento envolveu um ônibus, um veículo de passeio e um caminhão de pequeno porte.

Ipueiras (TO)

Ex-prefeito é denunciado por não repassar empréstimos consignados aos bancos

Dezenas de funcionários foram lesados e tiveram seus nomes negativados no SPC/Serasa.

Caso Gislane

Mulher é presa suspeita de encomendar morte de jovem por ciúmes do namorado

A PM prendeu Marcela ainda dentro do ônibus quando chegava a cidade de Cristalândia

Animal Silvestre

Tamanduá-bandeira é capturado dentro de casa em Araguaína e solto na natureza

O animal foi colocado numa gaiola e solto em uma área verde próximo à cidade.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.