Queda de braço

Sindicatos exigem 6,5% de data-base aos servidores estaduais, mesmo índice pago ao TCE, DPE, AL e TJ

Por Redação AF
Comentários (0)

19/06/2017 18h58 - Atualizado há 1 mês
O Governo do Estado propôs uma correção salarial aos servidores públicos no índice de 3,9% a ser aplicado a partir de janeiro de 2018, mas as entidades sindicais que representam as categorias afirmaram que "discordam frontalmente" do índice proposto, segundo a Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Tocantins. Os líderes sindicais exigem que seja aplicado o mesmo índice dos demais poderes - 6,5% - e de imediato.

Para a Federação, com a proposta de 3,9%, o Estado volta a desvalorizar a sua força do trabalho e, ainda, cria disparidade entre as categorias de servidores públicos do Tocantins, pois TCE (Tribunal de Contas do Estado), Assembleia Legislativa, Defensoria Pública e Poder Judiciário concederam o percentual de 6,5% aos seus funcionários.

“A Fesserto enaltece e reconhece a decisão acertada dos representantes desses poderes e instituições, que bem souberam valorizar seus servidores concedendo aos mesmos ganho real, como também, parabeniza os servidores desses poderes visto que, a Federação representa todos os servidores públicos do Tocantins”, destaca o presidente da Federação, Carlos Augusto Melo de Oliveira (Carlão).

A Federação lembra que, diante da crise econômica e do índice maior em 2016, os servidores estaduais aceitaram acordo com o governo do Estado para parcelar a data-base daquele ano. Agora, com o percentual baixo, a Federação reivindica que o governo retribua o "bom senso do funcionalismo público" na última data-base.

“Quando necessário, nós ajudamos o governo. Agora, é a hora de o governo promover uma política linear de ajuste salarial, sem descriminar quem trabalha no Executivo”, frisa Carlão.

Contestaram a proposta do Governo os seguintes sindicatos: SINFINTO (Sindica dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Tocantins), SEET (Sindicato dos Profissionais em Enfermagem do Estado do Tocantins), SINDIFISCAL (Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual), SINDJOR (Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins), SINDAGRO (Sindicato dos Profissionais da Defesa Agropecuária), ASMIR (Associação dos Militares da Reserva, Reformados, da Ativa e seus Pensionistas do Estado do Tocantins), AOMETO (Associação dos Oficiais Militares do Estado do Tocantins) e APRA (Associação dos Sargentos e Subtenentes da Policia Militar do Tocantins).

Comentários (0)

Mais Notícias

ASTT

Mais de 220 veículos apreendidos em Araguaína serão leiloados em novembro

Segundo o edital, todos os veículos estão na modalidade circulação e foram recolhidos durante operações de fiscalização.

Protesto

Moradores plantam pés de banana no meio de rua esburacada no norte do Estado

Moradores também reclamaram do atraso nas obras de pavimentação.

Trânsito

Acidente em rotatória mata jovem e deixa outro gravemente ferido em Palmas

Moradores reclamam que não há iluminação e a sinalização é precária na rotatória.

Notícias falsas

TSE vai anunciar medidas contra fake news após tensão entre Haddad e Bolsonaro

A semana que passou foi tensa, pois Haddad acusou Bolsonaro de estar por trás do esquema.

Concurso PM

Por requisição do MPE, PM vai apurar falhas no concurso para soldado e oficial

Cerca de 16 candidatos são acusados de fraudar as provas para o concurso da PM do Tocantins

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.