Investigação

Vereadores pedem CPI contra prefeito de Colinas para investigar gasto milionário só com internet

Segundo a Prefeitura, ao todo são 43 prédios que utilizam o serviço de internet.

Por Redação 1.130
Comentários (0)

23/10/2019 16h25 - Atualizado há 9 meses
Prefeito de Colinas, Adriano Rabelo (PRB) / Foto: Eduardo Gomes/Diário Tocantinense

Seis vereadores da Câmara de Colinas do Tocantins protocolaram, nesta terça-feira (22), um pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os gastos altísssimos com serviços de internet contratados pela gestão do prefeito Adriano Rabelo (PRB).

Segundo o vereador Romerito Guimarães (PT), que encabeçou o pedido, teriam sido pagos mais de R$ 1 milhão em apenas dois anos. Isso levantou a suspeita de sobrepreço no contrato firmado entre a prefeitura e uma empresa provedora de internet. “O valor é abusivo, e por esta suposta irregularidade no contrato é que decidimos pedir a CPI”, disse Guimarães. 

Por outro lado, a prefeitura argumenta que contratou o serviço pelo valor mensal de R$ 50 mil por meio de adesão a uma Ata de Registro de Preços do Tribunal de Justiça do Tocantins, "por entender que todos os processos legais foram seguidos e aprovados".

Segundo informações da Prefeitura, ao todo, são 43 prédios da administração municipal que utilizam o serviço de internet. São atendidos: o Hospital Municipal de Colinas, prédios I e II da Prefeitura, Unidades Básicas da Saúde (UBS), Conselho Tutelar, Secretarias, Centro de atendimento ao cidadão, entre outros. São 493 pontos cabeados, com computadores e outros aparelhos necessários, além de 672 pontos de internet wifi que atendem funcionários da prefeitura e a população em geral, totalizando 1.165 pontos de internet contratados.

+ Licitação milionária da gestão Rabelo em Colinas está na mira do TCE por várias irregularidades

Câmara de Colinas

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.