De 80% para até 30%

Vereadores 'sabatinam' Odebrecht durante audiência para discutir redução da tarifa de esgoto em Araguaína

Por Redação AF
Comentários (0)

14/12/2015 00h20 - Atualizado há 2 meses
Da Redação //AF Notícias Os debates foram intensos na primeira audiência pública promovida pela Câmara Municipal de Araguaína (TO) para discutir a redução da tarifa de esgoto cobrada pela concessionária Odebrecht Ambiental, atualmente fixada em 80% do consumo de água. Os vereadores querem limitar esse percentual a no máximo 30%. A audiência aconteceu na noite de sexta-feira (11) na quadra do Centro de Ensino Médio Dr. José Aluisio da Silva Luz, no setor Coimbra. Estiveram presentes, além dos 17 vereadores, a diretora regional da Odebrecht, Sandra Leal, um representante da Agencia Tocantinense de Regulação (ATR), alunos, professores e comunidade em geral. Segundo dados apresentados pela concessionária dos serviços, 47 mil pessoas já são atendidas pela rede de coleta e tratamento de esgoto em Araguaína, o que corresponde a 24,9% da população. No Tocantins, esse percentual está em 28,64% e, na região Norte, em apenas 6,5%. Apenas 10% da população araguainense é beneficiada com a tarifa social. Já a tarifa de água foi reajustada este ano em 10,99%. Contrato sem licitação O debate começou com vários questionamentos direcionados à empresa. Terciliano Gomes (SD), o autor da proposta de redução da tarifa, lembrou que a Saneatins foi contratada pelo poder público municipal no ano de 1999 sem licitação, por ser, naquela época, uma empresa pública. No entanto, atualmente a empresa é totalmente privada e o contrato foi renovado sem licitação. “Não deveria ter feito uma licitação? Quem fiscaliza esses serviços? Quem permite ou estipela os valores das tarifas?”, questionou. O parlamentar classificou como “extremamente elevado e abusivo” a tarifa de 80%. “O Município tem que participar da composição desse valor, mas até onde sei, não participou”, afirmou Terciliano. Obras de ampliação da rede de esgoto paralisadas Já o vereador Luzimar Coelho (PRTB) questionou o motivo da paralisação das obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário em Araguaína (TO), que coincidiram com os escândalos investigados na Operação Lava-jato, da Polícia Federal, em que há suposta participação da Odebrecht. Segundo o parlamentar, não há motivos para que as obras estejam paralisadas e criticou a reconstrução das ruas e calçadas após a realização dos serviços. “Há comentários de que a empresa é igual tatu. Sua marca é fazer buracos e não entregar um serviço de qualidade”. O vereador disse ainda que a sociedade não aceita essa “taxa exorbitante e fora da realidade”. “A Odebrecht tem que ter um convencimento muito grande para a sociedade aceitar uma tarifa dessa magnitude”, afirmou Luzimar. Proposta de redução da tarifa é criticada O coordenador de Saneamento da Agência Tocantinense de Regulamentação (ATR), Robson Gabriel, afirmou que a proposta de reduzir para 30% é “tão aleatória” quando manter em 80%, pois, segundo ele, é preciso comprovar tecnicamente sua viabilidade. “Uma lei municipal delegou esses poderes de regulamentar as tarifas ao Estado do Tocantins. Até que a lei tenha vigência, a proposta de reduzir a tarifa de esgoto a 30% ela é tão aleatória quanto os 80%. Se os 80% precisa de critério econômico e financeiro para se chegar a esse valor, os 30% também não podem ser jogados dessa forma aleatória. É preciso que esses 30% sejam comprovados tecnicamente”. Já a gerente da Odebrecht, Sandra Leal, contra-atacou: “Quer baixar. Pode baixar. Não tem problema nenhum. Vamos baixar para 30%, mas quem vai pagar essa conta? Não tem almoço de graça. Alguém vai ter que pagar essa conta. Vamos também aumentar o número de famílias atendidas pela tarifa social, mas o resto da população vai querer pagar essa conta?”, questionou. A diretora também comparou a tarifa cobrada no Tocantins com o percentual de outros estados, apontando que o Estado está dentro da média. Citou exemplos como do Ceará (110%); Sabesp em SP (100%) e Paraná (80%). Disse ainda que em Tocantinópolis a tarifa foi reduzida para 50%, mas que a empresa está questionando na Justiça. Também abordou o caso de Colinas, onde a redução para 50% vigorou apenas por três meses, mas foi derrubada pela Justiça e retornou aos 80%. Sandra ainda afirmou que o custo do tratamento de esgoto é 3 vezes mais que o custo para o tratamento de água. Já em relação ao investimento por habitante para implantação dos sistemas, o de água sai por R$ 250, enquanto o de esgoto por R$ 662. Embora tenha apresentado dados, a diretora não soube informar qual a arrecadação; o custo total para coleta e tratamento do esgoto e o lucro da empresa. Vereadores vão insistir na mudança Mesmo com as respostas, os vereadores afirmaram que este foi apenas o primeiro passo e que vão insistir na proposta de redução da tarifa mediante alteração na Lei Orgânica do Município. Para o presidente da Câmara, vereador Marcus Marcelo, essa audiência visa aproximar mais a população do Poder Legislativo, ouvindo de perto a necessidade de todos. “Esse contato mais próximo com a comunidade é de fundamental importância”, acrescentou. 20151211_201957 IMG-20151214-WA0000
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

Palmas

BMW fica completamente destruída após pegar fogo na Avenida Teotônio Segurado

A BMW ficou completamente destruída após o incêndio. Ninguém ficou ferido.

Violência

Adolescente de 15 anos é morto com três tiros durante assalto no sul do Estado

O menor foi atingido por três disparos na cabeça e no tórax.

Acidente

Mulher tem perna esmagada por veículo após acidente em cruzamento de Palmas

Testemunhas disseram que a motociclista tentou atravessar a Teotônio quando foi atingida

Álcool e direção

Motorista bêbado invade a contramão, colide e mata motociclista na TO-080

Com o impacto da batida, moto e condutor foram arremessados cerca de 30 metros.

Perigo

Crianças são arrastadas por enxurrada enquanto banhavam em córrego de Palmas

Os garotos tomavam banho no córrego quando foram surpreendidos pela força da água.

Engavetamento

Ônibus perde freios e provoca engavetamento na principal avenida de Araguaína

O engavetamento envolveu um ônibus, um veículo de passeio e um caminhão de pequeno porte.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.