Ilha do Bananal

Governo do Tocantins quer profissionalizar o turismo na maior ilha fluvial do mundo

Peixe é o próximo município a passar pela inventariação turística.

Por Redação
Comentários (0)

10/07/2021 09h02 - Atualizado há 2 meses
Rio Lorotizinho, um dos pontos de pesca do município de Lagoa da Confusão

Nascido na Ilha do Bananal, João Portil Neto integra uma das 300 famílias remanescentes da maior ilha fluvial do mundo, que na década de 1990 foram transferidas para o Assentamento Loroty, distante mais de 50 km da área urbana de Lagoa da Confusão. Por lá, a vida é simples, mas não falta escola, posto de saúde, campo de futebol, igreja, energia elétrica e internet.

Para chegar à fazenda de Portil e sua esposa, Jucilene Barbosa de Souza, é necessário percorrer mais 5 km, mas isso não é problema para quem busca a tranquilidade do Rancho Ninho das Pirararas, especialmente entre os meses de março a junho, melhor período para pesca no rio Lorotizinho, que margeia a propriedade, e lagos próximos.

Os amantes da pesca esportiva não se importam com a simplicidade do local, o que vale é a receptividade do casal e a grande variedade de peixes, com destaque para a pirarara e o tucunaré.

Recepcionando pescadores de todo o Brasil há cerca de 10 anos, João Portil e Jucilene estão entre os empresários da região que participaram do levantamento realizado por técnicos da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc) ao longo desta semana.

O Inventário Turístico será realizado nos municípios que integram o Mapa Turístico do Tocantins e os dados serão inseridos na Plataforma Integrada de Turismo (PIT), que estará acessível ao público e terá dados atualizados, que servirão para a elaboração de políticas públicas.

"Lagoa da Confusão é o quinto município visitado pela equipe da Superintendência de Turismo, que está levantando dados fundamentais para a atuação da Gestão Mauro Carlesse", ressalta o presidente da Adetuc. Até o momento, além de Lagoa da Confusão, foram inventariados municípios do Jalapão e das Serras Gerais.

A equipe foi dividida em dois grupos, com um percorrendo a zona urbana e o outro a zona rural e aldeias indígenas. "Envolver a comunidade é o caminho", comemora a gerente de Turismo do município e uma das raras guias mulheres do Estado, Raimunda Rodrigues de Souza.

Além de coletar informações sobre os empreendimentos, os técnicos estimulam a formalização dos empreendimentos, que assim podem fazer parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), acessar financiamentos, entre outros benefícios.

O caminho da formalização já foi adotado pelo empresário Raimundo Vilanova. Nascido em Cristalândia, ele cresceu em meio às riquezas naturais da região e há nove anos começou a construir, para usufruto particular, a estrutura hoje utilizada para receber turistas, na Pousada Jabuti.

Além de chalés, o local possui área de camping e uma bela vista para o rio Formoso. Por ali, é fácil registrar jacarés nadando vagarosamente e muitas aves.

Mais conhecido pela pedra que dá nome ao município e pela temporada de praia, suspensa em função da pandemia de Covid-19, Lagoa da Confusão oferece condições para visitação o ano todo, com destaque para a pesca esportiva. Também é possível promover observação de animais, trilhas etnoturismo.

O próximo município a passar pela inventariação turística será Peixe, que também integra a Região Turística da Ilha do Bananal.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.