Duas barradas

Juiz eleitoral barra candidaturas a prefeito de Araguatins com base na Lei da Ficha Limpa

Um dos candidatos é o atual prefeito e outro é ex-gestor do município.

Por Conteúdo AF Notícias 2.462
Comentários (0)

15/10/2020 17h03 - Atualizado há 1 semana
Cláudio Santana (esq.) e Rocha Miranda

A Justiça Eleitoral indeferiu os registros de candidatura do atual prefeito de Araguatins, Cláudio Santana (MDB), e também do ex-prefeito e ex-deputado estadual Rocha Miranda (PT), com base na Lei da Ficha Limpa. As decisões foram proferidas nesta quinta-feira (15) pelo juiz da 10ª Zona Eleitoral de Araguatins, José Carlos Tajra Reis Júnior.

A impugnação à candidatura de Rocha Miranda foi apresentada pela Coligação de Cláudio Santana, e vice-versa. Desse modo, as duas candidaturas foram barradas.

Cláudio Santana, atual prefeito, teve suas contas rejeitadas pelo TCE quando presidente da Câmara Municipal de Araguatins, em 2012, por exceder o limite de gastos previsto no inciso I do art. 29-A da Constituição Federal, tornando-o inelegível por 8 anos, exceto se a condenação tiver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário.

No dia 21 de setembro de 2020, Claudio Santana apresentou uma ação de revisão no TCE/TO, contudo, o conselheiro Severiano Costandrade não suspendeu a condenação.

“Ante o exposto, julgo PROCEDENTE a impugnação do Registro de Candidatura de CLAUDIO CARNEIRO SANTANA para cargo de Prefeita de Araguatins, nas eleições de 2020, e consequentemente, INDEFIRO o registro de sua candidatura”, diz a decisão do juiz.

ROCHA MIRANDA

O registro de candidatura do ex-prefeito Rocha Miranda (PTB) foi impugnado em razão de uma condenação por ato de improbidade administrativa. O ex-gestor está condenado em pelo menos quatro ações e todas as condenações foram confirmadas em decisão colegiada do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO).

Segundo a legislação, são inelegíveis, para qualquer cargo, os que forem condenados à suspensão dos direitos políticos, em decisão proferida por órgão judicial colegiado, por ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito.

Em um dos processos, Rocha Miranda foi por irregularidades e ilegalidades nos gastos de R$ 148.836,67 com despesas de hospedagem, refeição e lanches em hotéis e restaurantes da cidade, sem identificar as pessoas beneficiadas ou as pessoas ilustres que estiveram na cidade, e, ainda, ordenando a realização dessas despesas sem autorização legal.

“Considerando que o impugnado ostenta condenação à suspensão dos direitos políticos, em decisão confirmada por órgão judicial colegiado, por ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito , julgo PROCEDENTE a impugnação do Registro de Candidatura de FRANCISCO DA ROCHA MIRANDA para cargo de Prefeito de Araguatins-TO, nas eleições de 2020, e consequentemente, INDEFIRO o registro de sua candidatura”, diz a decisão.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.